sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Calais acolhe um recorde de quase 7.000 migrantes

O gigantesco bairro da lata conhecido como "A Selva", situado perto de Calais, norte de França, alberga atualmente quase 7.000 migrantes, um número sem precedentes desde a sua criação, na primavera de 2015, anunciaram esta sexta-feira as autoridades locais.

O número de migrantes instalados n'"A Selva" aumentou fortemente nos últimos dois meses, estando em 6.901 em meados de agosto, em contraste com 4.486 em junho, segundo a câmara municipal de Pas-de-Calais.

Em outubro de 2015, a câmara tinha registado 6.000 migrantes. A população diminui em seguida, caindo para 3.500 na primavera deste ano, devido a uma série de medidas adotadas pelo Estado para fazer os migrantes abandonarem "A Selva".

O mais recente balanço oficial fica aquém da contagem efetuada por ativistas de associações, que deram conta, na semana passada, da presença de 9.106 pessoas no local.

Segundo essas associações, a atmosfera n'"A Selva" é "muito tensa", porque as estruturas abertas naquele espaço pelas organizações não-governamentais estão sobrelotadas.

De acordo com as mesmas fontes, este afluxo de migrantes está ligado a novas entradas na Europa via Itália e ao desmantelamento agora sistemático dos acampamentos informais parisienses, que obriga os migrantes a prosseguir viagem.

Os migrantes, originários tanto do Afeganistão como do Sudão ou do Iraque, chegam ao norte de França esperando, dali, poder atravessar o Canal da Mancha para alcançar o Reino Unido, visto como o eldorado.

Lusa

  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18
  • Jornalista que denunciou corrupção do Governo de Malta morre em explosão

    Mundo

    A jornalista Daphne Caruana Galizia, que acusou o Governo de Malta de corrupção, morreu esta segunda-feira, numa explosão de carro. O ataque acontece duas semanas depois de a jornalista maltesa recorrer à polícia, para dizer que estava a receber ameaças de morte. A morte acontece quatro meses após a vitória do Partido Trabalhista de Joseph Muscat, nas eleições antecipadas pelo primeiro-ministro, após as alegações da jornalista, que o ligavam a si e à sua mulher ao escândalo dos Panama Papers. O casal negou as acusações de que teriam usado uma offshore para esconder pagamentos do Governo do Azerbaijão.