sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Polícia Marítima portuguesa resgatou 54 imigrantes e refugiados em bote no mar Egeu

Uma equipa da Polícia Marítima (PM) portuguesa, que está na ilha grega de Lesbos, integrada na missão da agência Frontex--Poseidon Sea 2016, resgatou, no sábado, 54 imigrantes e refugiados de um bote no mar Egeu.

O resgate ocorreu depois de a equipa ter recebido informação da Viatura de Vigilância Costeira (VVC) da PM, também integrada na missão, de um bote que estava a dirigir-se para a Grécia.

"A equipa da PM deslocou-se imediatamente para junto do bote e decidiu resgatar todas as pessoas para o interior da embarcação 'Tejo'. Estas estavam muito assustadas e nervosas", relata a PM, que, no total, resgatou 54 pessoas, nesta operação: quatro bebés e crianças, 12 mulheres e 38 homens.

O bote foi também rebocado pela embarcação Portuguesa Tejo, refere a PM, adiantando que, à chegada ao porto de Skala Sikaminea, onde todos desembarcaram em segurança, já se encontravam elementos da guarda-costeira grega, da agência FRONTEX e de Organizações Não-Governamentais, que ajudaram no desembarque e no controlo de refugiados/imigrantes.

"Já em terra conseguiu apurar-se que uma das mulheres era de nacionalidade espanhola, estava grávida de três meses, vivia há cinco anos na Turquia e, não tendo outra forma de regressar à Europa, decidiu realizar a travessia do mar Egeu num bote sobrelotado", revela a PM em comunicado.

Desde que a 01 de outubro de 2015, a Polícia Marítima portuguesa resgatou, em segurança, e transportou para terra um total de 3.618 refugiados e imigrantes, que corriam risco de vida, dos quais 881 bebés e crianças e 783 mulheres.

A PM deteve ainda cinco facilitadores.

A equipa é composta por 11 agentes da PM, um Técnico para o apoio e a manutenção das embarcações e um Técnico para a manutenção da componente elétrica e eletrónica da VVC.

A PM vai cooperar no controlo e vigilância das fronteiras marítimas gregas e no combate ao crime transfronteiriço até 30 de setembro próximo.

Lusa

  • Negócios do Fogo
    22:00
  • Direção da Raríssimas na Madeira demitiu-se em setembro
    1:58

    País

    Três representantes da Raríssimas na ilha da Madeira demitiram-se, em setembro, de costas voltas para a direção. A delegação da instituição na ilha começou em 2015 e fechou com as três demissões. Em entrevista à SIC, uma das antigas delegadas afirmou que todos os fundos angariados foram para a sede, em Lisboa, ficando depois sem dinheiro para pagar as despesas.

  • Deputado do PSD recusa vice-presidência da Raríssimas
    1:58

    País

    Nas reações políticas ao caso da Raríssimas, o PSD e CDS dizem que é preciso acionar todos os mecanismos legais apropriados para averiguar a situação. O deputado social-democrata, Ricardo Baptista Leite, que tinha sido convidado recentemente para vice-presidente da instituição, diz que já não há condições para tomar posse.

  • Turistas aproveitam nevão na Serra da Estrela
    1:23
  • Fortes nevões no norte da Europa
    0:59
  • Dezenas de feridos em protestos contra decisão de Trump em Israel
    1:55
  • A brincadeira de um youtuber que podia ter acabado mal

    Mundo

    Um jovem youtuber inglês enfiou a cabeça num saco de plástico, prendeu-a na parte interna de um microondas e encheu depois o eletrodoméstico com cimento. A brincadeira, que podia ter acabado de forma trágica, deixou o jovem completamente preso e obrigou à intervenção dos serviços de emergência.

    SIC

  • "Popeye" russo pode ter que amputar braços

    Mundo

    Um jovem russo injetou um óleo no corpo para conseguir ter músculos, mais propriamente nos seus braços, que já cresceram cerca de 25 centímetros. Contudo, segundo um médico, o procedimento pode levar à necessidade de amputação, deixando o jovem sem os membros.