sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Polícia Marítima realizou mais de cem mil ações de fiscalização no último ano

A Polícia Marítima realizou no último ano mais de cem mil ações de fiscalização, reportando 1200 crimes e 7700 contraordenações, segundo um balanço esta sexta-feira apresentado pelo Comandante-Geral, que destacou a participação na missão de salvamento marítimo na Grécia.

"Em termos práticos, da missão já resultou o salvamento de mais de 3500 vidas humanas de refugiados, além das ações de assistência e de cooperação com outras forças europeias", afirmou o Comandante-Geral da Polícia Marítima, vice-almirante António Silva Ribeiro.

O vice-almirante adiantou que está em ponderação a "possibilidade de, a partir de maio de 2017, voltar a participar na missão Poseidon, na Grécia", uma missão da agência Europeia Frontex.

Em termos de resultados operacionais, o comandante Silva Ribeiro enumerou 101.000 ações de fiscalização, das quais 10.300 ocorreram em embarcações no mar, 1200 crimes reportados e 7700 ilícitos contraordenacionais.

O militar discursava nas instalações centrais da Marinha, numa cerimónia de homenagem à Polícia Marítima (PM), tutelada pelo ministério da Defesa, que tem em preparação alterações à orgânica da Autoridade Marítima Nacional e ao estatuto do pessoal da PM.

Sobre este ponto, o vice-almirante Silva Ribeiro afirmou que é necessário atualizar o regime orgânico estabelecido em 1995 para a Polícia Marítima bem como à revisão do estatuto do pessoal "de modo a conformá-lo às realidades presentes do serviço e da carreira".

Para o vice-almirante, a "edificação da Polícia Marítima do futuro é uma missão ambiciosa e de exercício constante", tarefa "complexa" que "dificilmente será viável" sem "o compromisso" do governo e "o apoio da Marinha".

Na cerimónia, o ministro da Defesa, Azeredo Lopes, disse que a Polícia Marítima pode "contar com a tutela da Defesa Nacional em tudo o que tem que ver com as ações do futuro" num "espírito de modernização".

O vice-almirante António Silva Ribeiro apontou ainda as necessidades da PM em termos materiais, entre os quais a compra de "equipamentos específicos de polícia e a renovação das viaturas operacionais" e adiantou que no próximo ano o objetivo é equipar mais três viaturas de "vigilância costeira com capacidades de comunicações, visão térmica e noturna", entre outras especificidades.

Lusa

  • Hoje é notícia 

    País

    O PSD leva a debate parlamentar a reprogramação do atual quadro comunitário, desafiando os partidos a pronunciarem-se sobre a proposta inicial do Governo, que considera "não servir o país". Os parceiros sociais e o Governo reúnem-se na Concertação Social para discutirem o Programa Nacional de Reformas. O Sporting de Braga procura alcançar o Sporting no 3º lugar da I Liga, ao defrontar o Marítimo na abertura da 31.ª jornada. Estas e outras notícias marcam a atualidade desta sexta-feira.

  • É importante que "as pessoas não tenham medo" de denunciar o tráfico humano
    0:48

    País

    Manuel Albano, relator nacional para o tráfico de pessoas, concorda com a ideia de que é necessário continuar a investir na inspeção e na fiscalização para travar o tráfico de seres humanos, mas rejeita a denúncia do sindicato dos trabalhadores do SEF, que esta quinta-feira alertou para a "falta de controlo".

  • Trocar a economia pela dança
    7:21
  • Salas de consumo assistido previstas na lei há 17 anos
    3:01

    País

    Dezassete anos depois, Lisboa vai ter as primeiras salas de consumo assistido, vulgarmente conhecidas como salas de chuto. O objetivo é apoiar os mais de 1400 toxicodependentes sinalizados e evitar a propagação de doenças.

  • O que faz um guaxinim às duas da manhã num quartel de bombeiros?

    Mundo

    Os animais são muitas vezes os protagonistas de histórias incríveis ou até insólitas. Desde o cão mais pequeno ao urso mais assustador. Desta vez, o principal interveniente é um guaxinim, que foi levado até um quartel de bombeiros por uma dona muito preocupada. Porquê? O animal estava sob o efeito de drogas.

    SIC

  • "Por vezes até as princesas da Disney ficam apavoradas"

    Mundo

    A atriz norte-americana Patti Murin foi esta semana elogiada nas redes sociais por se preocupar com a sua saúde mental e não ter problemas em falar sobre o assunto. A artista faltou a um espetáculo da Disney, onde ia atuar, devido a um ataque de ansiedade.

    SIC