sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Educação de refugiados é "questão de segurança global"

O candidato a secretário-geral das Nações Unidas António Guterres defendeu esta segunda-feira em Nova Iorque, num evento à margem da Cimeira dos Refugiados e Migrantes, que a educação dos jovens deslocados é "uma questão de segurança global".

"A educação é um instrumento absolutamente crucial para cumprir as aspirações das pessoas, para aumentar as possibilidades de reconstrução dos seus países e, ao mesmo tempo, uma questão de segurança global", disse o ex-primeiro-ministro português e ex-alto-comissário das Nações Unidas para os Refugiados.

Líderes dos 193 Estados-membros da ONU aprovaram hoje a Declaração de Nova Iorque, que cria condições para um melhor tratamento dos refugiados e migrantes.

O candidato a secretário-geral da ONU previu "enormes dificuldades" para aplicar as resoluções da declaração, mas salientou a sua importância.

"Não nos podemos dar ao luxo de ter pessoas que terminam o ensino secundário e não têm oportunidade de ter ensino superior ou trabalho. Alguém dizia numa reunião da ONU, há uns meses, que mentes vazias são o recreio do diabo", disse António Guterres num evento copatrocinado por um conjunto de entidades, designadamente por Portugal, Qatar e Grécia, relativo à educação superior em situações de conflito ou de desastres naturais.

O candidato a secretário-geral da ONU afirmou que "a frustração de largo número de jovens que não encontram hipótese de prosseguir os seus estudos ou encontrar um trabalho é um excelente elemento para aqueles que hoje constroem uma rede global de terrorismo."

Questionado pela moderadora sobre como se pode planear situações de educação em crises que são muitas vezes imprevisíveis, Guterres referiu-se à natureza das crises humanitárias que conheceu quando liderou o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados.

"As situações são imprevisíveis, mas uma coisa podemos prever: as crises vão durar e a recuperação será lenta", disse, apontando os exemplos da Síria, Afeganistão, Somália e República Democrática do Congo.

"Não ter educação, desde o princípio, como uma prioridade, e não incluir a educação superior nessa abordagem, é um suicídio", concluiu Guterres, referindo-se à "imensa frustração de jovens que permanecem nos campos de refugiados por anos e anos e anos e não têm nenhuma hipótese de estudar, trabalhar ou encontrar outra forma de se integrar na sociedade."

Na mesma sessão, o ex-presidente português Jorge Sampaio propôs a criação de um mecanismo de resposta rápida para o ensino superior em situações de emergência.

Lusa

  • A fuga dos PIDES
    20:08
  • Dominado incêncio no centro de tratamento de resíduos da Tratolixo
    1:55

    País

    O fogo na Tratolixo, em Trajouce, deflagrou esta segunda-feira à noite. As chamas foram controladas a meio da manhã pelos bombeiros. No local estão 133 operacionais, apoiados por 51 veículos. O fogo não fez vítimas nem danos materiais. O vento dificultou o combate às chamas.

  • Duas execuções no mesmo dia pela primeira vez em 17 anos nos EUA

    Mundo

    O estado norte-americano do Arkansas (sul) executou, na noite de segunda-feira, dois condenados à morte, o que sucede pela primeira vez em 17 anos no país, anunciou a procuradora-geral daquele estado. Jack Jones e Marcel Williams, condenados separadamente na década de 1990 à pena capital por violação e assassínio, receberam uma injeção letal depois de diferentes tribunais terem rejeitado os respetivos recursos, afirmou Leslie Rutledge, em comunicado.