sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Marcelo elogia na ONU integração de refugiados e migrantes em Portugal

O Presidente da República elogiou esta segunda-feira na sede da Organização das Nações Unidas (ONU), em Nova Iorque, a integração de refugiados e de migrantes em Portugal, destacando o acesso das crianças à saúde e à educação públicas.

"No que respeita à integração, Portugal promove o acesso dos filhos de todos os migrantes aos sistemas de educação e saúde públicos. Não importa se são regulares ou irregulares aos olhos da lei do país", afirmou Marcelo Rebelo de Sousa, durante um encontro de alto nível sobre refugiados e migrantes.

Num discurso de cerca de cinco minutos, o chefe de Estado elogiou também o trabalho da Plataforma Global de Assistência Académica de Emergência a Estudantes Sírios criada e liderada pelo antigo Presidente da República Jorge Sampaio, que esteve igualmente presente nesta reunião da ONU.

Marcelo Rebelo de Sousa defendeu a importância de os jovens refugiados poderem prosseguir os seus estudos, e referiu que aquela plataforma já permitiu integrar "muitos, muitos estudantes sírios em universidades de dez países".

No plano da União Europeia, o Presidente da República disse que Portugal aceitou as suas obrigações.

"Mas duplicámos os números de refugiados acolhidos pelo nosso país, por razões de solidariedade. Temos recebido milhares de pessoas vindos de todos os lados, através da Turquia, Grécia, Itália, Egito, estes últimos em cooperação com o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Refugiados", acrescentou.

Lusa

  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15