sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

UE diz que não haverá repetição de 2015 no que toca à chegada de migrantes

A União Europeia (UE) reafirmou esta segunda-feira nas Nações Unidas o objetivo de reforçar as suas fronteiras externas e garantiu que não se repetirá um ano como 2015, com um número recorde de chegadas de migrantes.

"Hoje a União Europeia tem um objetivo claro: restaurar a ordem nas suas fronteiras exteriores", disse o presidente do Conselho Europeu, Donald Tusk, ao intervir na cimeira sobre refugiados e migrações organizada pela ONU.

Para Tusk, a reunião de alto nível deve representar uma mudança, rumo a "enfoque pragmático" e a um sistema internacional com movimentos de população "mais ordenados", na qual a responsabilidade seja repartida e "ninguém tenha de assumir a carga sozinho".

O responsável europeu deixou clara a vontade da Europa de "reduzir os fluxos irregulares" de migrantes que chegam aos países que integram a UE e assegurou que os Estados-membros estão unidos nessa postura.

"Não haverá uma repetição do ano de 2015, com mais de 1,5 milhões de migrantes irregulares", garantiu Tusk.

Paralelamente, afirmou que os países europeus estão preparados para aumentar a ajuda humanitária e ajuda ao desenvolvimento não só para os refugiados como para as comunidades que os acolham.

Nesse sentido, recordou que a UE está a finalizar acordos com a Jordânia e o Líbano, que se está a trabalhar em novas formas de cooperação com países africanos e que continuará a colaborar com a Turquia e os países dos Balcãs.

"A migração global vai acompanhar-nos no futuro e está na nossa mão decidir se o nosso futuro será ordenado, estável e seguro ou desordenado, instável e inseguro", salientou.

Lusa

  • Bataglia deixou passar 12 milhões pela sua conta a pedido de Salgado
    2:05

    Operação Marquês

    O presidente da Escom e arguido na Operação Marquês Helder Bataglia terá admitido que Ricardo Salgado utilizou uma conta bancária do empresário, na Suíça, para passar 12 milhões de euros a Carlos Santos Silva, amigo de José Sócrates. O amigo de Sócrates e Bataglia terão combinado várias formas de não levantar suspeitas. A notícia é avançada pelo jornal Expresso na edição deste sábado.

  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.

  • Dirigente derrotado da Gâmbia concorda em ceder poder

    Mundo

    O ex-presidente e candidato derrotado das eleições na Gâmbia, Yahya Jammeh, concordou em ceder o poder ao novo Presidente do país, empossado na quinta-feira, indicou esta sexta-feira um responsável governamental senegalês.