sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Apagado incêndio em campo de migrantes na Grécia

Um incêncio que esta segunda-feira à noite deflagrou no campo de migrantes de Moria, na ilha grega de Lesbos, foi apagado pelos bombeiros, mas cerca de quatro mil pessoas fugiram do campo, indicaram fontes policiais às agências Efe e AFP.

"Não sabemos ainda se há feridos, há migrantes fora do acampamento que estão agora a fazer um esforço para voltar. Cerca de 500 já voltaram", disse à Efe um porta-voz da polícia local, que não confirmou, contudo, se o fogo foi intencional, como algumas fontes indicam.

Cerca de 150 menores instalados no campo foram retirados das instalações e transportados para um jardim infantil na ilha, indicou outra fonte policial.

Há atualmente na Grécia mais de 60.000 refugiados e migrantes, a maioria dos quais quer viajar para a Alemanha e outros países do norte da União Europeia, mas não consegue fazê-lo, depois de vários países balcânicos e do leste europeu terem encerrado as suas fronteiras, no início deste ano.

Os grupos de defesa dos direitos humanos têm repetidamente criticado as condições dos campos de migrantes na Grécia, denunciando a sobrelotação e a falta de condições sanitárias.

A situação é particularmente aguda em Lesbos e outras ilhas do leste do mar Egeu perto da Turquia, onde a maioria dos migrantes chega e fica retida para registo.

De acordo com dados do Governo grego, há mais de 13.000 pessoas em cinco ilhas, em instalações construídas para albergar menos de 8.000.

A existência de distúrbios nos campos das ilhas é comum.

Lusa

  • Um retrato devastador do "pior dia do ano"
    2:47
  • Um olhar sobre a tragédia através das redes sociais
    3:22
  • "Estão a gozar com os portugueses, esta abordagem tem de mudar"
    6:45

    Opinião

    José Gomes Ferreira acusa as autoridades e o poder político de continuarem a abordar o problema da origem dos fogos de uma forma que considera errada. Em entrevista, no Primeiro Jornal, o diretor adjunto da SIC, considera que a causa dos fogos "é alguém querer que a floresta arda". José Gomes Ferreira sublinha que não se aprendeu com os erros e que "estão a gozar com os portugueses".

    José Gomes Ferreira

  • "Os portugueses dispensam um chefe de Governo que lhes diz que isto vai acontecer outra vez"
    6:32

    Opinião

    Perante o cenário provocado pelos incêndios, os portugueses querem um chefe de Governo que lhes diga como é que uma tragédia não volta a repetir-se e não, como disse António Costa, que não tem uma fórmula mágica para resolver o problemas dos fogos florestais. A afirmação é de Bernardo Ferrão, da SIC, que questiona ainda a autoridade da ministra da Administração Interna para ir a um centro de operações, uma vez que é contestada por toda a gente.

  • Portugal precisa de "resultados em contra-relógio, após décadas de desordenamento florestal"
    1:18