sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Muro de Calais começa a ser construído

As obras de construção do muro destinado a impedir o acesso ao porto de Calais (norte de França), principalmente por migrantes que querem chegar ao Reino Unido, arrancaram esta terça-feira, noticiou a agência de notícias France Presse.

Os operários começaram hoje a preparar o betão para erguer um muro "anti-intrusão" e "antirruído" de quatro metros de altura, que deverá estender-se um quilómetro para cada lado da estrada que dá acesso ao porto de Calais, a algumas centenas de metros da "Selva", um bairro da lata onde vivem entre sete e dez mil migrantes, segundo as fontes.

Os trabalhos começaram sob a vigilância das forças de segurança e sem a presença de quaisquer migrantes.

O muro será composto de painéis de betão armado, encaixados em suportes metálicos, e estará equipado com câmaras de vigilância e de um sistema de iluminação. O projeto é financiado pelo Reino Unido, está orçamentado em cerca de 2,7 milhões de euros, e deverá estar concluído até ao fim do ano, de acordo com um calendário provisório das autoridades locais francesas.

O muro visa, segundo os seus impulsionadores, impedir os migrantes de invadirem todas as noites a auto-estrada. A estrada de acesso, situada perto da "Selva", é tomada de assalto regularmente pelos migrantes, que tentam bloquear camiões para que estes os deixem subir para, assim, poderem chegar clandestinamente ao Reino Unido.

Lusa

  • Rui Santos revela novos e-mails que envolvem o Benfica
    1:52
    Tempo Extra

    Tempo Extra

    3ª FEIRA 23:00

    No programa da SIC Notícias Tempo Extra, Rui Santos revelou esta terça-feira que o blogue de Hugo Gil, associado ao Benfica, partilhou informação privilegiada da APAF (Associação Portuguesa de Árbitros de Futebol) com várias figuras do clube da Luz.

  • "É preciso namorar bem para que o namoro dê certo"
    2:31
  • Governo vai proibir refeições nos monumentos com estatuto de panteão
    0:53

    País

    O Governo vai acabar com as refeições no Panteão Nacional e em edifícios com estatuto semelhante, como os mosteiros dos Jerónimos e da Batalha. A decisão foi anunciada esta terça-feira pelo ministro da Cultura, no Parlamento. Luís Filipe Castro Mendes esclareceu que a decisão surge no âmbito da revisão do regulamento sobre os monumentos.

  • O Futuro Hoje na maior feira eletrónica de consumo do mundo
    5:14