sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Hungria referenda no domingo quotas europeias para acolher refugiados

© Reuters

A Hungria realiza no domingo um referendo sobre o sistema europeu de recolocação de refugiados, com o Governo do populista de Viktor Órban ativamente envolvido numa campanha de desafio à União Europeia e repúdio aos refugiados.

O argumento do Governo húngaro na origem do referendo é que Bruxelas quer impor à Hungria o acolhimento de dezenas de milhares de refugiados e, na campanha, considerada "tóxica" pela Amnistia Internacional, multiplicaram-se pelo país cartazes associando claramente refugiados e terrorismo islâmico.

A incógnita da consulta, para a qual estão convocados 8,3 milhões de eleitores, é a taxa de participação. Para que o resultado seja válido, a participação tem de atingir os 50% mais um, mas os estudos de opinião indicam que apenas 42% afirmam ter a certeza de que irão votar e 31% estão indecisos.

Os que votarem, concluem as sondagens, responderão maioritariamente "não" à pergunta: "A Europa deve ditar a instalação obrigatória de cidadãos não-húngaros na Hungria mesmo sem acordo da Assembleia Nacional?".

Seja como for, especialistas coincidem que o referendo não terá consequências legais, uma vez que não pode anular decisões tomadas na UE, mas será um triunfo político para o Governo húngaro, que prometeu, sem dar pormenores, traduzir o resultado "no sistema legal húngaro".

O plano de recolocação de 160.000 refugiados sírios e iraquianos chegados em 2015 à Grécia e Itália prevê a distribuição dos mesmos pelos 28 Estados-membros da UE.

A Hungria recusou participar no sistema, recorreu à justiça europeia para contestar o plano e, até hoje, não se disponibilizou para receber um único refugiado.

Ao mesmo tempo, o Governo construiu vedações ao longo da fronteira com a Sérvia, primeiro, e com a Croácia, depois, interrompendo uma das principais rotas migratórias na Europa, e fez aprovar legislação reforçando as penas para quem entra ilegalmente no país e criando processos sumários de expulsão de migrantes.

O argumento, recorrente nas políticas de Orban desde que chegou ao poder, em 2010, é a necessidade de "reforçar a identidade" salvaguardando os valores cristãos da Hungria e da Europa em geral.

"Se cedermos a Bruxelas, a Hungria mudará. Estamos a fazer uma política de autodefesa", disse o polémico primeiro-ministro húngaro numa entrevista recente.

A oposição de esquerda, que ainda não recuperou da derrota eleitoral de 2010, apelou para um boicote do referendo, argumentando que "uma pergunta estúpida" só pode ter "uma resposta estúpida".

"Fica em casa, fica na UE", é uma das mensagens dos socialistas.

Mas a campanha contrária ao Governo mais visível é a da formação do protesto satírico "Partido do Cão com Duas Caudas", que apelou aos eleitores para votarem não apenas "sim", como também "não", invalidando dessa forma o referendo.

"Sabia que um húngaro médio vê mais óvnis que refugiados durante a vida?", é uma das mensagens da campanha do partido de protesto, que apela ainda aos eleitores para que façam "um desenho bonito" no boletim de voto.

Lusa

  • Marcelo lembra como foi tratada a tragédia durante a ditadura
    2:25

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Marcelo Rebelo de Sousa não quis comentar diretamente a polémica em torno da lista das vítimas mortais de Pedrógão Grande, mas recorreu às cheias de 1967 para lembrar como as tragédias eram tratadas no tempo da ditadura. O Presidente da República defendeu que não é possível esconder a dimensão de uma tragédia num regime democrático. Há 50 anos, Marcelo Rebelo de Sousa acompanhou de perto a forma como o regime tentou esconder a verdadeira dimensão do incidente.

  • Ministra admite falhas no SIRESP no presente e no passado
    2:35

    País

    A ministra da Administração Interna admitiu, esta quinta-feira, que o SIRESP falha no presente tal como já falhou no passado, quando a tutela pertencia ao Governo PSD. Os sociais-democratas quiserem ouvir Constança Urbano de Sousa na comissão parlamentar mas desta vez a ministra defendeu-se com um ataque. 

  • À descoberta de Dago, o destroço mais visitado em mergulho de profundidade
    13:51
  • Uma viagem aérea pela aldeia histórica de Monsanto
    0:50
  • "Comecei por ajudar uma família que me pediu um plástico para se proteger"
    4:51
  • Quase três mil toneladas de plástico ameçam tartarugas no Mediterrâneo
    2:35

    Mundo

    O Mar Mediterrâneo está sob a ameaça de se tornar uma lixeira com três mil toneladas de plástico a flutuarem entre a Europa e África. Há milhões de turistas a nadarem nestas águas e há espécies marinhas que já estão em perigo. No Chipre, os cientistas estão a tentar proteger tartarugas, cuja alimentação já é quase totalmente de plástico.

  • Deputado da Malásia diz que negar sexo ao marido é uma forma de abuso

    Mundo

    Um deputado malaio tem sido alvo de algumas críticas na internet, depois de ter dito que negar sexo a maridos é uma forma de abuso psicológico e emocional por parte das mulheres. As declarações de Che Mohamad Zulkifly Jusoh foram feitas durante um debate sobre as alterações às leis de violência doméstica, na quarta-feira.

    SIC