sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Polícia Marítima quer realizar nova missão na Grécia em 2017

A Polícia Marítima conta realizar a partir de maio de 2017 uma nova missão na Grécia de busca e salvamento de migrantes e refugiados, anunciou esta sexta-feira a corporação, que aguarda apenas uma resposta da agência Frontex.

"Tendo em conta este flagelo que a Europa está sujeita devido aos problemas que existem no Médio Oriente, a agência Frontex abriu novamente ofertas para o ano que vem, o nosso comandante-geral respondeu positivamente. Em princípio vamos manter o mesmo nível de empenhamento que tivemos este ano", disse o chefe da área de operações da Polícia Marítima, comandante Dias Martins, em entrevista à agência Lusa.

O comandante Dias Martins adiantou que a missão na Grécia deverá realizar-se a partir de maio de 2017 durante seis meses, estando a Polícia Marítima (PM) a aguardar uma resposta da Agência Europeia da Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-membro da União Europeia (Frontex).

Uma equipa da PM, composta por seis agentes, terminou hoje uma missão de um ano na ilha grega de Lesbos em que o principal objetivo foi salvar as vidas dos milhares de migrantes e refugiados que querem a todo o custo chegar à Europa.

"Este problema não tem fim à vista, enquanto existirem conflitos no Médio Oriente. Não prevejo que haja um fim para esta massa humana que anda de um lado para o outro", sustentou o comandante Dias Martins.

O chefe da área de operações da PM, que esteve várias vezes na Grécia para apoiar a equipa portuguesa, destacou a importância da missão que hoje termina, que foi diferente de uma anterior realizada pela corporação também na Grécia, em 2014.

"Esta missão é completamente diferente. A primeira vez que a PM foi para a Grécia, a nossa missão era de interdição de fronteiras, ou seja, era de não deixar entrar ninguém, estamos a falar finais de 2014 (...). Em 2015, a filosofia da missão era completamente diferente, ou seja, embora estejamos a vigiar fronteiras contra todo tipo de crimes, os refugiados e migrantes são bem-vindos e é para serem ajudados", disse.

Segundo Dias Martins, a postura da PM na missão foi de "ajudar para que não haja mortos no mediterrâneo".

O mesmo responsável disse ainda que é fundamental este tipo de missões para a PM, porque toma contato com realidades diferentes e partilha experiências com equipas de outros países que também fizeram parte da missão Frontex, nomeadamente da Suécia, Noruega e Polónia.

Num ano, a equipa portuguesa realizou 94 missões de busca e salvamento e resgatou do mar Egeu 3.674 pessoas, 894 eram crianças e bebés e 793 mulheres, segundo um balanço feito à agência Lusa.

Lusa

  • Ministro "mais descansado" com relatório sobre Almaraz, ambientalistas contestam
    2:01

    País

    O ministro do Ambiente diz estar mais descansado depois de conhecer o relatório técnico que considera o armazém de resíduos nucleares em Almaraz uma solução adequada. Já as associações ambientalistas e os partidos criticam o parecer positivo à construção e querem ouvir os ministros do Ambiente e dos Negócios Estrangeiros no Parlamento.

  • Marcelo recebido por multidão na Ovibeja
    2:52
  • Líderes europeus unidos para iniciar saída do Reino Unido
    2:08
  • 100 dias de Trump em 04'30''
    4:33

    Pequenas grandes histórias

    Donald Trump tomou posse como 45º Presidente dos EUA dia 20 de janeiro de 2017, faz este sábado, 100 dias. Prometeu grandes mudanças, mas os planos acabaram por chocar de frente com a realidade e a burocracia de Washington, como foi o caso do Obamacare. Foi a primeira ordem executiva que assinou, no dia em que tomou posse, mas a revogação está longe de acontecer.