sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Polícia Marítima quer realizar nova missão na Grécia em 2017

A Polícia Marítima conta realizar a partir de maio de 2017 uma nova missão na Grécia de busca e salvamento de migrantes e refugiados, anunciou esta sexta-feira a corporação, que aguarda apenas uma resposta da agência Frontex.

"Tendo em conta este flagelo que a Europa está sujeita devido aos problemas que existem no Médio Oriente, a agência Frontex abriu novamente ofertas para o ano que vem, o nosso comandante-geral respondeu positivamente. Em princípio vamos manter o mesmo nível de empenhamento que tivemos este ano", disse o chefe da área de operações da Polícia Marítima, comandante Dias Martins, em entrevista à agência Lusa.

O comandante Dias Martins adiantou que a missão na Grécia deverá realizar-se a partir de maio de 2017 durante seis meses, estando a Polícia Marítima (PM) a aguardar uma resposta da Agência Europeia da Gestão da Cooperação Operacional nas Fronteiras Externas dos Estados-membro da União Europeia (Frontex).

Uma equipa da PM, composta por seis agentes, terminou hoje uma missão de um ano na ilha grega de Lesbos em que o principal objetivo foi salvar as vidas dos milhares de migrantes e refugiados que querem a todo o custo chegar à Europa.

"Este problema não tem fim à vista, enquanto existirem conflitos no Médio Oriente. Não prevejo que haja um fim para esta massa humana que anda de um lado para o outro", sustentou o comandante Dias Martins.

O chefe da área de operações da PM, que esteve várias vezes na Grécia para apoiar a equipa portuguesa, destacou a importância da missão que hoje termina, que foi diferente de uma anterior realizada pela corporação também na Grécia, em 2014.

"Esta missão é completamente diferente. A primeira vez que a PM foi para a Grécia, a nossa missão era de interdição de fronteiras, ou seja, era de não deixar entrar ninguém, estamos a falar finais de 2014 (...). Em 2015, a filosofia da missão era completamente diferente, ou seja, embora estejamos a vigiar fronteiras contra todo tipo de crimes, os refugiados e migrantes são bem-vindos e é para serem ajudados", disse.

Segundo Dias Martins, a postura da PM na missão foi de "ajudar para que não haja mortos no mediterrâneo".

O mesmo responsável disse ainda que é fundamental este tipo de missões para a PM, porque toma contato com realidades diferentes e partilha experiências com equipas de outros países que também fizeram parte da missão Frontex, nomeadamente da Suécia, Noruega e Polónia.

Num ano, a equipa portuguesa realizou 94 missões de busca e salvamento e resgatou do mar Egeu 3.674 pessoas, 894 eram crianças e bebés e 793 mulheres, segundo um balanço feito à agência Lusa.

Lusa

  • Sismo abala centro de Itália

    Mundo

    A capital da Itália foi esta manhã sacudida por três sismos em apenas uma hora, de entre 5,3 e 5,7 na escala de Richter, não havendo até ao momento registo de vítimas.

  • Oposição diz que défice abaixo dos 2,3% se deve ao aumento de impostos
    2:24

    Economia

    O défice de 2016 vai ficar abaixo dos 2,3%, uma garantia dada pelo primeiro-ministro durante o debate quinzenal desta terça-feira. A oposição diz que o resultado é bom para o país mas que se deve a um aumento de impostos, feito pelo Governo no ano passado, e ao trabalho do PSD e do CDS nos anos anteriores.

  • Bebé nasce na Ucrânia com ADN de três pais

    Mundo

    Nasceu a 5 de janeiro, na Ucrânia, uma menina filha de um casal infértil graças à ajuda de uma nova técnica de fertilização in vitro, que conta com a colaboração de uma terceira pessoa. De acordo com o britânico The Times, os médicos utilizaram pela primeira vez um método denominado transferência pronuclear. Esta não é, contudo, a primeira vez que nasce um bebé com ADN de três progenitores.

  • CIA desvenda segredos de quase 50 anos de História

    Mundo

    A CIA publicou online quase 12 milhões de documentos confidenciais. Basta uma ligação à Internet para navegar por entre 50 anos de relatórios outrora secretos. Entre os milhões de páginas, estão documentos sobre um eventual assassínio de Fidel Castro, detalhes sobre os crimes de guerra nazis, relatórios sobre avistamentos de OVNI e um estudo sobre telepatia denominado "Projeto Star Gate".