sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Justiça francesa autoriza desmantelamento do campo de Calais

© Pascal Rossignol / Reuters

A justiça francesa autorizou esta terça-feira o desmantelamento do vasto campo de migrantes em Calais (norte), e a operação "é agora uma questão de dias", anunciou o governo francês.

O campo situado frente às costas inglesas, que alberga entre 5.700 e 10.000 migrantes segundo diversas fontes, incluindo menores isolados, foi formado na primavera de 2015 em plena crise migratória na Europa. As autoridades já desmantelaram uma parte em março, sob alta proteção policial.

O tribunal administrativo de Lille (norte) validou hoje o desmantelamento rápido da "Selva", como o campo é conhecido, rejeitando as críticas de 11 associações, que entre outras queixas se referiam à falta de intérpretes e deficiente acompanhamento dos migrantes.

As associações exigem ainda um "diagnóstico mais preciso das necessidades, dos riscos de evacuação", e algumas prognosticavam "uma catástrofe" em caso de desmantelamento "nas atuais condições".

Pelo contrário, a justiça considerou que "o próprio princípio" do desmantelamento não contradiz o "princípio de proibição dos tratamentos inumanos e degradantes". Na sua perspetiva, o desmantelamento visa precisamente a "terminar" com semelhantes tratamentos submetidos aos migrantes, que vivem "em condições de precaridade e insegurança denunciados por todos".

Numa referência aos centros de acolhimento em diversas cidades do país que devem acolher os migrantes vindos de Calais, o tribunal considerou que o Estado "não subestimou o número de migrantes que devem ser aí recebidos". Segundo as autoridades, já foram registados mais de 7.000 lugares.

Com a via judicial livre a partir de hoje, o desmantelamento "é agora uma questão de dias", anunciou hoje o ministro socialista francês do Interior, Bernard Cazeneuve, que prometeu abrigar os migrantes abrangidos pela medida "em condições dignas".

Lusa

  • Celebridades protestam contra Donald Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Encontrados dez sobreviventes no hotel engolido por um avalanche em Itália
    1:44
  • Videoclipe mostra mulheres a fazer tudo o que é proibido na Arábia Saudita
    1:55

    Mundo

    Um grupo de mulheres canta, dança e faz outras coisas proibidas na Arábia Saudita como forma de protesto. O vídeo é uma crítica social à forma como as mulheres islâmicas são tratadas pelos maridos. Na letra constam frases como "Faz com que os homens desapareçam da terra" e "Eles provocam-nos doenças psicológicas". A ideia partiu de um homem, Majed al-Esa e já conta com 5 milhões de visualizações.

    Patrícia Almeida