sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Mais de 3 mil imigrantes resgatados em 48 horas no Mediterrâneo

© Jon Nazca / Reuters

Mais de 3.000 imigrantes foram salvos nas últimas 48 horas no Canal da Sicília, franja de mar que liga o norte de África a Itália, confirmaram fontes da guarda costeira que coordena os resgates naquela zona do Mediterrâneo.

Segundo indicaram hoje as mesmas fontes à agência noticiosa espanhola Efe, prevê-se que o número venha a aumentar, atendendo a que durante a madrugada e manhã estavam a ser realizados mais resgates.

Nas operações do fim de semana, num total de 24, participaram tanto unidades da guarda costeira italiana, como da missão europeia Eunavformed e barcos de organizações não-governamentais.

O barco Dattilo da guarda costeira resgatou 1.477 pessoas, as quais vão desembarcar nas próximas horas no porto de Augusta, na Sicília.

Durante a madrugada de domingo, o barco Aquarius da Sos Mediterranee e da Médicos Sem Fronteiras resgatou 946 pessoas, que estavam à deriva em sete lanchas pneumáticas e em dois botes, as quais devem chegar hoje de manhã ao porto de Catânia.

Desde o início do ano, foram resgatados 15.852 imigrantes - mais 67% do que em igual período do ano passado, segundo dados do Ministério do Interior.
A emergência da imigração não cessa e o Governo italiano calcula que, ao longo deste ano, cheguem a Itália 250.000 imigrantes, ou seja, mais 70.000 do que em 2016.


Lusa

  • Famílias das vítimas de Pedrógão criam associação para apurar responsabilidades
    2:13
  • Polícias ameaçam com protestos no arranque do campeonato
    1:24

    País

    Os agentes da PSP ameaçam boicotar a presença nos jogos do campeonato da Primeira e Segunda ligas que começam em 15 dias. Os agentes colocam em causa o atual modelo de policiamento no futebol, que faz com que muitos dos profissionais da PSP trabalhem sem remuneração em dia de folga.

  • 700 milhões para armamento e equipamento militar
    1:16

    País

    Portugal vai investir nos próximos anos 700 milhões de euros em armas e equipamento militar. Segundo a imprensa de hoje, o objetivo é colocar algumas áreas das Forças Armadas a um nível similar ao dos outros aliados da NATO. É o maior volume de programas de aquisição dos últimos anos e parte das verbas vão beneficiar a indústria portuguesa que fabrica aviões, navios-patrulha, rádios e sistemas de comando e controlo.

  • Princesa Diana morreu há 20 anos. Filhos falam pela 1ª vez da intimidade
    1:15