sicnot

Perfil

Refugiados na Europa

Refugiados na Europa

Crise Migratória na Europa

Entradas em Itália provenientes da Líbia aumentaram 30% em 2017

© Yannis Behrakis / Reuters

Entre janeiro e abril chegaram a Itália cerca de 28 mil migrantes provenientes da Líbia, o que representa um aumento em 30% face ao ano anterior, segundo dados da agência europeia de fronteiras Frontex.

O fluxo de migrantes que chegam à Europa através da rota do Mediterrâneo central está a aumentar, disse o diretor da Frontex, Fabrice Leggeri, em entrevista publicada hoje num jornal alemão, em comparação aos que chegam através da rota do Mediterrâneo oriental, fluxo que está a diminuir drasticamente.

Em cada embarcação intercetada na rota do Mediterrâneo central "vão em média cerca de 170 pessoas, geralmente sem combustível nem provisões suficientes para a viagem", sendo que há "dois anos a média era de cerca de 100 migrantes" nessa situação, disse Fabrice Leggeri.

Entre janeiro e abril, apenas seis mil migrantes entraram na Europa pelo Mar Egeu, entre a Turquia e a Grécia, a rota oriental, o que supõe menos 94% de pessoas relativamente ao ano passado.

O diretor da agência europeia de fronteiras atribuiu essa queda acentuada ao acordo entre a União Europeia e a Turquia sobre os migrantes, em que a Turquia recebe no seu território refugiados e fecha a fronteira em troca de apoio financeiro europeu.

Sob este acordo, a União Europeia já devolveu à Turquia mais de mil migrantes, assinalou Fabrice Leggeri, acrescentando que não há sinais de que Ancara não esteja a cumprir o pacto, apesar das ameaças do governo turco nesse sentido.

Leggeri nota ainda que a maioria dos migrantes que chegam à Europa através da rota do Mediterrâneo central não são cidadãos da Síria, como acontece na rota oriental, mas pessoas da Costa do Marfim, da Guiné, da Nigéria e do Bangladesh.

As máfias que traficam refugiados estão a servir-se da situação caótica enfrentada pela Líbia, devastada por uma guerra civil, disse o diretor da Frontex.

Lusa

  • Mais de 1600 ações de fiscalizações a IPSS em dois anos
    1:05

    Expresso da Meia Noite

    Nos últimos dois anos, o Estado efetuou mais de 1600 ações de fiscalização a Instituição Particular de Solidariedade Social (IPSS) das quais resultaram mais de 70 destituições e 80 participações ao Ministério Público (MP). Os números foram avançados pela secretária de Estado da Segurança Social, Cláudia Joaquim, no programa Expresso da Meia-noite, na SIC Notícias.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23
  • Ilhas Selvagens são um tesouro no Atlântico que é preciso preservar
    2:33