sicnot

Perfil

Dérbi com todos

Dérbi com todos

Dérbi com todos

Sporting decisor indireto nas contas do título

SIC

O dérbi Sporting-Benfica tem a importância de poder influenciar o título na I Liga de futebol, mais do que o peso de uma rivalidade secular entre os dois emblemas.

O resultado do jogo não determinará, a cinco jornadas do final, o campeão, mas poderá deixar caminho meio aberto para Benfica ou FC Porto, numa fase em que o Sporting está praticamente fora destas contas, a oito pontos da liderança e com 15 por disputar.

À entrada para a 30.ª jornada, o Benfica lidera o campeonato, com 71 pontos, seguido de FC Porto, com 68, e de Sporting, com 63, matematicamente na luta, mas com hipóteses quase nulas de ser campeão.

O despique cinge-se praticamente a águias e dragões, com as primeiras na perseguição a um inédito tetracampeonato e os segundos, em contraponto, a quererem regressar a um título que lhes escapa há três épocas.

O jogo em Alvalade é de alto risco, com a pressão do lado do Benfica, obrigado, no mínimo, a pontuar, sob pena de ver o FC Porto chegar à liderança - com vantagem na diferença de golos -, caso vença em casa o Feirense.

A equipa do Benfica apenas continuará na frente se conseguir trazer pontos de Alvalade, ou, em caso de derrota, se o FC Porto perder pontos com o Feirense, no domingo no Estádio do Dragão (20:15), num cenário muito pouco previsível.

Do lado do Sporting, no papel de "decisor indireto", o objetivo mais concretizável é ainda o apuramento direto para a Liga dos Campeões, via segundo lugar, mas sempre dependente do que Benfica e FC Porto consigam fazer.

Os 'leões' estão a cinco pontos da vice-liderança, ocupada pelo FC Porto, e será sempre preciso acumular vitórias e esperar que os rivais deslizem mais do que uma vez.

Embora o título não se decida aí, o dérbi de Alvalade é o lançamento de um final que se adivinha de nervos: O Benfica jogará com Estoril (casa), Rio Ave (fora), Vitória de Guimarães (casa) e Boavista (fora), e o FC Porto com Chaves (fora), Marítimo (fora), Paços de Ferreira (casa) e Moreirense (fora).

O que pode ficar definido já nesta 30.ª jornada é a abertura do sexto lugar como vaga europeia.

O lugar é aberto face à condição de finalista da Taça de Portugal do Vitória de Guimarães, mas é assegurada a posição para essa outra equipa extra, e pode ser nesta jornada, se os vimaranenses garantirem que não terminam abaixa do sexto.

A equipa de Pedro Martins, atualmente na quarta posição, defronta no domingo, em casa, o Boavista (10.º).

O sexto posto é ocupado por Marítimo, a equipa em melhor posição para vir a garantir esse lugar extra (na fase preliminar da Liga Europa), num momento em que tem mais cinco pontos do que o Rio Ave (7.º) e oito para o Chaves (8.º).

Os vila-condenses abrem na sexta-feira a jornada, com a receção ao Arouca (13.º), que também poderá pontualmente ficar a salvo da descida, quando está separado por 11 pontos dos aflitíssimos Nacional (17.º) e Tondela (18.º).

No sábado haverá jogo pela sobrevivência entre o Tondela e os insulares, numa luta cada vez mais difícil, quando ligeiramente acima está o Moreirense (16.º), com mais quatro pontos do que ambos.

A recente vitória da equipa de Moreira de Cónegos na Choupana deu uma pequena margem à equipa de Petit, que na segunda-feira recebe o Desportivo de Chaves (8.º).

Ainda pontualmente em risco, a oito pontos dos lugares de descida, está também o Estoril-Praia, que receberá o Vitória de Setúbal, e o Paços de Ferreira, a nove, que joga em casa com o Sporting de Braga.

A jornada terá ainda a novidade no regresso de Domingos Paciência aos bancos da I Liga, com o técnico e ex-futebolista a assumir o Belenenses (12.º), que visita os Barreiros, após cinco derrotas consecutivas.

Lusa

  • Fuzileiros continuam no terreno a ajudar população
    3:03
  • Chef russo aconselha bife tártaro aos jogadores portugueses
    1:29
  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44
  • Desacatos no aeroporto de Faro deixam turistas britânicos em terra
    1:46

    País

    Cinco pessoas, que integravam o grupo de turistas britânicos que nos últimos dias causou desacatos em Albufeira, foram ontem impedidas de regressar a Inglaterra. Agressões no aeroporto e desacatos à entrada do avião levaram os comandantes de dois voos a recusar levar aqueles passageiros.