sicnot

Perfil

Descarrilamento na Galiza

Descarrilamento na Galiza

Descarrilamento na Galiza

Travões do comboio que descarrilou funcionavam mas ainda não se pode falar de falha humana

© Reuters

Um dos técnicos que está a investigar o acidente ferroviário de 9 de setembro na Galiza assegurou hoje que o sistema de travões do comboio que descarrilou "funcionava perfeitamente", mas que "ainda não se pode falar" de falha humana.

Os especialistas realizaram esta manhã uma série de verificações na localidade de O Porrino, em Pontevedra, no local do acidente em que morreram quatro pessoas, entre eles o maquinista português, e em que 49 pessoas tiveram feridas diversas, estando um delas ainda hospitalizada.

Segundo Juan Carlos Carballeira, os técnicos constataram que o sistema de travões "funcionava bem" antes de a composição ter descarrilado, assim como hoje, duas semanas depois do acidente.

Este técnico precisou que os sinais acústicos e luminosos e as agulhas funcionavam e que na inspeção de hoje não encontraram irregularidades, mas acrescentou que vão ser feitas mais provas periciais na próxima semana.

Carballeira recordou que o comboio que fazia a rota Vigo-Porto circulava em excesso de velocidade, ia a 118 km/hora numa vía em que a velocidade estava limitada a 30 km/hora, e que ainda se desconheciam as causas exatas do acidente.

Para o técnico, a informação extraída das "caixas negras", que registam os dados técnicos do comboio, revelam que o maquinista falecido tinha reconhecido os sinais para reduzir a velocidade, mas que "ainda não se pode falar" de falha humana.

Entretanto o ministro espanhol da Justiça e do Fomento em funções, Rafael Catalá, calculou na quinta-feira, em Madrid, que o relatório final da comissão de investigação de acidentes ferroviários demorará seis a nove meses até estar pronto.

Atualmente estão a ser feitas duas investigações ao acidente, uma judicial e outra dependente do Ministério do Fomento espanhol.

Lusa

  • Cerca de 100 mortos e dezenas de desaparecidos após sismo na Indonésia
    1:24
  • As camisolas de Natal da família real britânica

    Mundo

    O espírito natalício invadiu ontem o Museu Madame Tussauds, em Londres. Foram reveladas as novas figuras de cera da família real britânica - cada membro enverga uma camisola de espírito festivo, com cãezinhos "reais" e "gingerbreadmen" de gosto duvidoso.

  • Os dias na Terra estão a ficar mais longos

    Mundo

    Os dias estão a tornar-se mais longos, mas impercetivelmente, porque vão ser precisos 6,7 milhões de anos para aumentarem um minuto, segundo um estudo publicado quarta-feira pela Proceedings A da Royal Society britânica.

  • As novas rotas da TAP em 2017
    1:59

    Economia

    No próximo ano, a TAP vai passar a voar para o Canadá. Além de Toronto, a companhia aérea vai também abrir cinco novas rotas para a Europa e aumentar algumas frequências. Fique a conhecer quais são.

  • Com este vamos arrancar-lhe uma lagriminha!

    Mundo

    Nesta redação, não se vive só de notícias. Também gostamos de nos emocionar com o mundo virtual. Imbuídos pela quadra natalícia, decidimos partilhar este vídeo polaco consigo. O que é preciso para o emocionar? Um tema com uma mensagem simples e que nos faça lembrar que somos todos feitos de carne e osso. Um toque de humor. Um sentimento sazonal, mas nunca em excesso. Um cão [é preciso haver sempre um cão]. Um enredo e algum suspense que nos prenda ao écran. Algo que nos faça engolir em seco. Foi isto que fez um site de vendas online com um anúncio com o título: "Inglês para principiantes". Então? Atingimos o nosso objetivo? Com ou sem lágrima?

  • Leica: a marca lendária entre os fotógrafos
    5:54
    Futuro Hoje

    Futuro Hoje

    3ª FEIRA NO JORNAL DA NOITE

    A Leica, das famosas máquinas fotográficas, abriu na semana passada a primeira loja em Portugal. Grande parte da produção da marca alemã é feita em Lousado, em Vila Nova de Famalicão, há 43 anos.