sicnot

Perfil

Ébola

Ébola

Ébola

Os 17 doentes com Ébola que fugiram foram todos encontrados

Dezassete doentes com Ébola que fugiram de  um centro de isolamento em Monróvia, quando este foi atacado, no fim de  semana, foram encontrados, afirmou hoje o ministro de Informação liberiano,  Lewis Brown.  

© Noor Khamis / Reuters

"Os 17 pacientes que fugiram do centro para doentes de Ébola foram todos  encontrados. Dirigiram-se a pé, por eles próprios, para o hospital JFK",  o principal estabelecimento do país, declarou o governante à agência France  Presse.  

Na noite de sábado, homens armados com bastões e facas atacaram e pilharam  o centro de isolamento na capital da Libéria, levando à fuga dos 17 doentes  internados.   

Brown disse ainda que seis profissionais de saúde liberianos infetados  com a febre hemorrágica estão a reagir positivamente ao soro experimental  norte-americano.  

A Libéria recebeu a 13 de agosto doses do soro experimental ZMapp, que  teve resultados positivos em dois norte-americanos contaminados, embora  não tenha permitido salvar um padre espanhol, que morreu a 12 de agosto.

Face à amplitude da epidemia, um comité de peritos convidado pela Organização  Mundial de Saúde (OMS) considerou "ético" permitir que medicamentos cuja  eficácia e efeitos secundários não estão medidos sejam utilizados "como  tratamento potencial ou medida preventiva". 

A Libéria é o país onde a epidemia do vírus Ébola já provocou o maior  número de mortos, 466 em 1.229 mortes registadas, segundo o último balanço  da OMS. 

 

Lusa

  • Ébola já fez 1229 mortos

    Ébola

    A epidemia de Ébola causou a morte de 1229 pessoas desde que foi declarada, em março deste ano, indicou hoje a Organização Mundial de Saúde (OMS). A morte de 84 pessoas em apenas três dias mostra a forte progressão da doença apesar dos esforços internacionais em travá-la.

  • Aplicação WhatsApp acusada de permitir conversas secretas entre terroristas
    1:45
  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".