sicnot

Perfil

Ébola

Ébola

Ébola

Agitação civil na Guiné-Conacri coloca resposta ao Ébola em risco

O chefe da Missão das Nações Unidas de Resposta à Emergência do Ébola (UNMEER) na Guiné-Conacri afirmou, esta segunda-feira, que a violência registada no oeste do país "colocou em causa" o combate ao vírus mortal.

© Reuters Staff / Reuters

Cerca de 60 pessoas foram detidas na sequência de uma vaga de protestos na semana passada, de acordo com as autoridades e moradores.

Em comunicado, Abdou Dieng advertiu que esses incidentes "colocaram em risco o tratamento das pessoas com Ébola" e apelou ao apoio e colaboração de todos.

Na semana passada, após a confirmação de pelo menos cinco novos casos no norte da Guiné-Conacri, a ministra da Saúde da Guiné-Bissau, Valentina Mendes, alertou a população para o facto de o Ébola "estar perto", dado que a doença foi detetada em localidades da Guiné-Conacri próximas da fronteira.

Segundo os mais recentes dados, foram registados 27.135 casos de Ébola, dos quais 11.145 se revelaram mortais, sobretudo na Guiné-Conacri, Serra Leoa e vizinha Libéria, declarada livre da epidemia em 09 de maio.




Lusa
  • Marcelo de volta a casa após diagnóstico de gastroenterite aguda
    3:37
  • "Todas as decisões que tomei foi sempre a pensar no Sporting primeiro"
    2:08
  • Saransk tanto anseia por Ronaldo que até lhe fizeram um vídeo e uma música
    3:07
  • Portugal quer atrair imigrantes
    1:28

    País

    O Governo prepara-se para regularizar a situação de 30 mil imigrantes ilegais que vivem em Portugal. De acordo com a edição deste sábado do semanário Expresso, o Executivo pretende também abrir portas a 75 mil novos imigrantes por ano.