sicnot

Perfil

Ébola

Ébola

Ébola

Novos casos de ébola resultam de transmissão sexual e podem reacender epidemia

O aparecimento de novos casos de Ébola deve-se a transmissão sexual porque alguns sobreviventes mantêm o vírus no sémen durante meses, lembrou hoje um especialista, alertando que estes casos podem reacender a epidemia.

© Glenn Duda / Reuters

"Isto é complicado porque a partir do momento em que há uma pessoa que deflagra a doença, pode recomeçar a transmissão por meios clássicos", nomeadamente o contacto direto entre pessoas ou com excreções, disse à Lusa o infeciologista Jaime Nina, do Instituto de Higiene e Medicina Tropical.

Numa entrevista telefónica à Lusa no dia em que a Organização Mundial de Saúde (OMS) anunciou o surgimento de dois novos casos confirmados de Ébola na Guiné-Conacri, o especialista admitiu tratar-se de transmissão por via sexual.

O meio de transmissão em 99% dos casos de Ébola é por contacto direto entre pessoas ou com excreções, sangue, fezes diarreicas ou vómitos.

No entanto, descobriu-se em 2015 que "alguns homens ficam com o vírus naquilo que é chamado um santuário - o trato genital masculino", explicou o especialista.

Embora não esteja ainda completamente definida qual a estrutura anatómica que alberga o vírus durante longos períodos - no caso mais extremo foi detetado 199 dias após os primeiros sintomas - certo é que esses homens podem transmitir a doença por via sexual.

"Os casos [de Ébola] que tem havido [desde o fim da epidemia] têm sido exaustivamente estudados e todos eles se enquadram em transmissão por via sexual, meses após um sobrevivente ter tido alta", disse o especialista.

"Quanto tempo isto vai durar, ninguém sabe", afirmou.

O perigo é que um novo caso da doença pode reacender a epidemia, admitiu Jaime Nina, sublinhando no entanto que os países onde têm surgido os novos casos, os mais afetados pelo Ébola, são aqueles que estão mais alerta para o risco de reacendimentos.

"Se há alguém que tem experiência de diagnosticar e tratar Ébola neste momento são eles, portanto neste momento é difícil um caso suspeito passar despercebido", afirmou.

Mais grave é se um sobrevivente que tenha o vírus viajar para um país diferente e aí infetar alguém, apanhando "completamente de surpresa" outro país.

Jaime Nina exemplificou com o caso de um médico norte-americano que foi infetado na África Ocidental e sobreviveu.

"Meses depois, 'just in case', fez uma análise ao esperma e tinha vírus viáveis", afirmou.

Embora o Ébola seja conhecido desde 1976, só em 2015 se descobriu que alguns homens mantêm o vírus ativo no sémen, podendo transmitir a doença meses depois de se terem curado.

"Isto nunca se tinha detetado antes porque os surtos eram pequenos e como se trata de um meio de transmissão raro, nenhum surto foi suficientemente longo para se detetar", explicou Jaime Nina.

A epidemia de Ébola na África Ocidental, a pior de que há memória, afetou 28.637 pessoas e matou 11.315 delas.

Iniciada em dezembro de 2013 na Guiné-Conacri, a epidemia propagou-se depois aos vizinhos Libéria e Serra Leoa, três países que concentraram 99% dos casos, bem como à Nigéria e Mali.

A Serra Leoa foi inicialmente considerada livre da transmissão de Ébola a 07 de novembro, a Guiné-Conacri a 29 de dezembro e a Libéria a 14 de janeiro.

No entanto, desde então já foram detetados novos casos na Serra Leoa e hoje a OMS confirmou dois novos casos na Guiné-Conacri.

A OMS avisa que os três países mais afetados pela epidemia de Ébola ainda estão em risco de novos focos, sobretudo devido à persistência do vírus em alguns sobreviventes, pelo que devem manter uma vigilância forte e uma capacidade de resposta de emergência.

Lusa

  • Paulo Macedo pede calma para o bem do banco
    1:45

    Caso CGD

    Paulo Macedo falou pela primeira vez desde que foi eleito o novo Presidente da Caixa Geral de Depósitos e, para o bem do banco público, pediu calma a todos. Passos Coelho veio dizer que a recapitalização da Caixa pode ter de ser feita no verão do próximo ano para salvaguardar o défice deste ano. Já António Costa preferiu não comentar as declarações de Passos e diz que o banco público há muito que precisava de ser recapitalizado.

  • Condutores continuam com dúvidas em como circular numa rotunda
    2:06

    País

    Circular nas rotundas continua a ser um problema para muitos condutores. Cerca de 3 mil foram multados nos últimos três anos depois da entrada em vigor do novo código, os números são avançados pela Autoridade Nacional de Segurança Rodoviária. Os instrutores de condução dizem que a medida provoca mais confusão nas horas de ponta.

  • O que aconteceu à menina síria que relatava a guerra no Twitter?
    1:59
  • Youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Reportagem da SIC "Renegados"
    1:27

    Grande Reportagem SIC

    O youtuber Miguel Paraiso escreveu uma paródia musical para a Grande Reportagem SIC "Renegados". Desde ontem já teve 67 mil visualizações no Facebook. Imagine que ia renovar o cartão de cidadão e diziam-lhe que afinal não é português? Mesmo tendo nascido, crescido, estudado e trabalhado sempre em Portugal? Foi o que aconteceu a inúmeras pessoas que nasceram depois de 1981, quando a lei da nacionalidade foi alterada.«Renegados» é como se sentem estes filhos de uma pátria que os excluiu. Para ver, esta quarta-feira, no Jornal da Noite da SIC.

  • "A nossa guerra não deixou heróis, só vilões e vítimas"
    5:26

    Mundo

    Luaty Beirão é o rosto mais visível de um movimento de contestação ao regime angolano que começou em 2011, ano da Primavera árabe. Mas a par dos 15+2, mediatizados num processo que os condenou por lerem um livro, outros activistas arriscam diariamente a liberdade.