sicnot

Perfil

Eclipse solar

Eclipse solar

Eclipse solar

Cuidados a ter na observação do eclipse solar

O eclipse solar que vai ocorrer esta sexta-feira exige para a sua observação uma série de cuidados. Estes procedimentos de segurança são fundamentais para evitar qualquer dano ao nível da visão. A observação direta pode causar cegueira instantânea ou gradual, alerta o Observatório Astronómico de Lisboa (OAL).

(Reuters/ Arquivo)

(Reuters/ Arquivo)

© Issei Kato / Reuters

O eclipse será total apenas no extremo norte do Oceano Atlântico, nas ilhas Faroé (Dinamarca) e Svalbard (Noruega) e na região Ártica. Em Portugal será parcial, começa pelas 8:00 (hora de Lisboa) e termina por volta das 10:00, com o seu pico a acontecer pelas 9:00.

Um eclipse do Sol acontece quando a Lua, satélite natural da Terra, se interpõe entre o seu planeta e o Sol, ocultando total (eclipse total) ou parcialmente (eclipse parcial) a luz solar.

Este eclipse acontece no dia em que começa a primavera no Hemisfério Norte. O equinócio da primavera é às 22:45 (hora de Lisboa).


Seis regras para observar correctamente o Sol (segundo o OAL)

1.Nunca observar o Sol directamente sem filtros solares oculares (vendidos nalgumas lojas da especialidade nestas ocasiões, devem ter marca CE .


2. Nunca usar óculos escuros, vidros negros de fumo, películas ou negativos fotográficos, radiografias, disquetes, CD, DVD, filtros de gelatina, polaróides, filtros Wratten, folhas de alumínio em quaisquer ocasiões e circunstâncias na observação do Sol. Não é recomendável o uso de quaisquer filtros de soldador abaixo do #14.

 

3. Nunca usar os filtros solares oculares combinados com binóculos, câmaras fotográficas, telescópios ou outros instrumentos ópticos. Estes filtros solares só devem ser usados para observação ocular directa, fazendo intervalos frequentes para descanso a fim do olho não aquecer demasiado.

 

4. Nunca colocar os filtros solares na ocular do instrumento óptico, ou seja, na lente onde se espreita para ver através dos binóculos ou telescópio. Nesta situação o filtro solar derrete deixando entrar intensidade suficiente para queimar a retina.

 

5. Nunca fazer uso dos filtros solares oculares já utilizados ou que estejam guardados, antes de os testar adequadamente. Podem ter microfuros, arranhões ou imperfeições que deixem passar mais radiação do que a permitida. Lembre-se que a queimadura do olho é indolor, o perigo é demasiado e arrisca a sua saúde. Antes de usá-los deve testar a segurança olhando através deles para uma luz muito forte (e próxima) em casa e procurar por falhas, furos e riscos.

 

6. Nunca exceder a observação contínua com óculos de protecção especial por períodos de mais 30 segundos, fazendo sempre intervalos de 3 minutos de descanso. Evita-se, desta forma, a acumulação de calor na retina. Importa lembrar que o aquecimento da retina não é sentido tal como se sente o aquecimento da pele, uma vez que a queimadura da retina é indolor.



  • Observar o eclipse solar sem proteção pode causar cegueira

    Eclipse solar

    O eclipse solar não traz riscos para a saúde, mas desperta curiosidade e a observação do Sol, sem a proteção adequada, pode trazer danos irreversíveis para a visão. Olhar para o Sol directamente e sem proteção é sempre perigoso, queima as células da retina e provoca lesões oftalmológicas graves. A observação do eclipse solar sem os devidos cuidados pode, no limite, provocar cegueira.

  • Como fotografar o eclipse solar com smartphone

    Eclipse solar

    As câmaras fotográficas associadas à maioria dos smartphones permitem captar imagens com muita qualidade. O iPhone 6, Samsung Galaxy S5, Sony Xperia Z3 e HTC One M8 são exemplos de aparelhos que possibilitam a obtenção de excelentes fotos, mas os eclipses solares são particularmente difíceis de fotografar. Aqui ficam algumas dicas de como aproveitar ao máximo esta sexta-feira a câmara do smartphone, desde que as nuvens não impeçam a observação do fenómeno.

  • Cuidados a ter com eclipse solar
    2:39

    Eclipse solar

    A Sociedade Portuguesa de Oftalmologia alerta para os riscos que representa a observação do eclipse solar, esta sexta-feira, entre as 8 e as 10 da manhã. Há cuidados que devem ser respeitados e as crianças constituem o maior grupo de risco.

  • Porque erram os árbitros?
    2:03

    Desporto

    Num momento em que a polémica em redor da arbitragem está acesa e que nem o videoárbitro parece ter contribuído para a pacificar o futebol, em Leiria juntaram-se treinadores e homens do apito para se entender porque erram os árbitros.

  • "Não andámos a tomar calmantes, nem a dar abracinhos"
    0:52

    Desporto

    Rui Vitória recusa atirar a toalha ao chão. O treinador do Benfica acredita que ainda muito pode acontecer e revela a motivação da equipa depois da derrota com o FC Porto na Luz, que levou à perda da liderança a quatro jornadas do fim.

  • "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos"

    Mundo

    "Se não querem que vos baixem as calças, não se tornem modelos", esta foi apenas uma das declarações de Karl Lagerfeld sobre as denúncias de abuso sexual, que estão a marcar o mundo do cinema, da música e da moda. Numa entrevista, o diretor criativo da Chanel e da Fendi declarou mesmo que estava farto do #MeToo, o movimento usado para denunciar estes casos de abusos por todo o mundo.

    SIC

  • Viagem de balão para ver as cerejeiras em flor
    14:27
  • Niassa foi o 4.º lince-ibérico libertado a ser atropelado em Portugal
    1:33

    País

    Uma fêmea de lince-ibérico foi encontrada morta com sinais de atropelamento na A22, próximo de Olhão. A fêmea, criada em cativeiro, tinha sido libertada no Vale do Guadiana em fevereiro de 2017. É o quarto lince-ibérico, que tinha sido libertado na natureza, que morre atropelado em Portugal.

  • "Há uma aceitação do lince no território"
    3:33

    País

    Apesar de já se terem registado em Portugal quatro atropelamentos de linces libertados na natureza, em entrevista à SIC, Pedro Rocha, do Departamento do Alentejo do Instituto da Conservação da Natureza e das Florestas (ICNF), disse que o programa de reintrodução "tem corrido bastante bem", não só devido às condições do habitat e disponibilidade de alimento, mas também porque "há uma aceitação do lince no território". Desde 2015, foram libertados no Vale do Guadiana 33 linces e 16 já nasceram em estado selvagem.

  • EUA acusam Síria de tentar apagar provas de alegado ataque químico em Douma
    1:28
  • Já pode escolher uma morte amiga do ambiente

    Mundo

    Preocupa-se com o ambiente? Recicla? Prefere andar a pé ou partilhar transportes? Então saiba que a partir de agora a morte também pode ser amiga do ambiente. Desde caixões degradáveis de vime a cremação líquida, já é possível diminuir o impacto ambiental da morte.

    SIC

  • O "anjo" que quer ensinar raparigas a programar
    2:59