sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estado Islâmico perde controlo de três importantes campos petrolíferos no Iraque

O grupo que se autodenomina Estado Islâmico, ou Daesh, perdeu o controlo de "pelo menos três importantes campos petrolíferos" no Iraque, o que lhe reduziu uma significativa fonte de rendimento, noticiou hoje um jornal alemão. 

© Thaier Al-Sudani / Reuters

Perante uma contraofensiva iraquiana, em larga escala, este grupo controla agora apenas um único campo petrolífero, adiantou o Sueddeutsche Zeitung na sua edição de hoje, citando o serviço de informações federal BND.

Expulso da estratégica cidade de Tikrit, no norte do Iraque, pelas forças de segurança iraquianas e milícias há uma semana - na que foi a maior vitória de Bagdade até agora, depois de perder vastas extensões do país em junho -, o grupo viu a sua capacidade de extração reduzida a "cinco por cento" da que chegou a ter, segundo o relatório do BND visto pelo Sueddeutsche Zeitung.

O diário adiantou que imagens de satélite permitem ver que o grupo incendiou dois destes três campos, o de Himrin e o de Ajil, quando constatou o avanço da contraofensiva. 

"No entender do BND, esta é a prova que o próprio grupo não acredita na rápida recaptura" do território agora perdido, adiantou o jornal. 

A capacidade de produção diária de petróleo do Daesh está agora reduzida à do campo Qayara, que é de dois mil barris por dia, de acordo com a espionagem alemã. 

Estes serviços de informações adiantaram no seu relatório que ao grupo falta também a capacidade técnica para explorar os campos petrolíferos, incluindo alguns na Síria, que controla. 

Agora, o grupo radical "dificilmente pode vender petróleo", acrescentou o jornal.

Não há números exatos sobre as finanças do grupo, mas as suas fontes de financiamento, para além das receitas do petróleo, também incluem o contrabando de antiguidades, a taxação de empresários e resgates em raptos.


Lusa

  • Incêndio de Setúbal "quase dominado"
    4:04

    País

    O incêndio que deflagrou segunda-feira em Setúbal está "quase dominado", segundo informações da presidente da Câmara. Maria das Dores Meira diz que não há feridos a registar e que os habitantes já vão regressando a casa. Para ajudar no combate ao fogo foram enviados meios de Lisboa.

  • "Lancei um tema que os portugueses há muito queriam discutir"
    11:26
  • Danos Colaterais 
    18:55
    Reportagem Especial

    Reportagem Especial

    Jornal da Noite

    Nos últimos oito anos a banca perdeu 12 mil profissionais. A dimensão de despedimentos no setor é a segunda maior da economia portuguesa, só ultrapassada pela construção civil. A etapa mais complexa da história começou em 2008, com a nacionalização do BPN. Desde então, as saídas têm sido a regra. A reportagem especial desta terça-feira, "Danos Colaterais", dá voz aos despedidos da banca.