sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estado Islâmico perde controlo de três importantes campos petrolíferos no Iraque

O grupo que se autodenomina Estado Islâmico, ou Daesh, perdeu o controlo de "pelo menos três importantes campos petrolíferos" no Iraque, o que lhe reduziu uma significativa fonte de rendimento, noticiou hoje um jornal alemão. 

© Thaier Al-Sudani / Reuters

Perante uma contraofensiva iraquiana, em larga escala, este grupo controla agora apenas um único campo petrolífero, adiantou o Sueddeutsche Zeitung na sua edição de hoje, citando o serviço de informações federal BND.

Expulso da estratégica cidade de Tikrit, no norte do Iraque, pelas forças de segurança iraquianas e milícias há uma semana - na que foi a maior vitória de Bagdade até agora, depois de perder vastas extensões do país em junho -, o grupo viu a sua capacidade de extração reduzida a "cinco por cento" da que chegou a ter, segundo o relatório do BND visto pelo Sueddeutsche Zeitung.

O diário adiantou que imagens de satélite permitem ver que o grupo incendiou dois destes três campos, o de Himrin e o de Ajil, quando constatou o avanço da contraofensiva. 

"No entender do BND, esta é a prova que o próprio grupo não acredita na rápida recaptura" do território agora perdido, adiantou o jornal. 

A capacidade de produção diária de petróleo do Daesh está agora reduzida à do campo Qayara, que é de dois mil barris por dia, de acordo com a espionagem alemã. 

Estes serviços de informações adiantaram no seu relatório que ao grupo falta também a capacidade técnica para explorar os campos petrolíferos, incluindo alguns na Síria, que controla. 

Agora, o grupo radical "dificilmente pode vender petróleo", acrescentou o jornal.

Não há números exatos sobre as finanças do grupo, mas as suas fontes de financiamento, para além das receitas do petróleo, também incluem o contrabando de antiguidades, a taxação de empresários e resgates em raptos.


Lusa

  • Bomba encontrada na Nazaré pode ter sido largada durante 2.ª Guerra Mundial
    2:26

    País

    A bomba que esta segunda-feira veio nas redes de um arrastão na Nazaré já foi detonada. O engenho explosivo foi identificado como uma bomba de avião por especialistas da Marinha, que eliminaram também o perigo equivalente a 600 quilogramas de TNT. A bomba sem qualquer inscrição tinha um desgaste evidente e, segundo a Marinha, pode ter sido largada de um avião durante a 2.ª Guerra Mundial.

  • Derrocada de muro em Lisboa obriga à retirada de 40 pessoas de 5 prédios
    2:14

    País

    Os moradores de três prédios de Lisboa não podem regressar tão cedo a casa. Durante a madrugada, a derrocada de um muro obrigou à retirada de 40 pessoas de cinco edifícios. Um dos inquilinos sofreu ferimentos ligeiros. Entretanto, a maioria dos residentes já foi realojada em casas de familiares e num hotel.

  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22

    País

    Num momento em que por cá se fala de claustrofobia democrática, a Europa e os Estados Unidos desdobram-se em elogios ao sucesso da maioria de Esquerda em Portugal. A palavra "geringonça" já tem até tradução em várias línguas.

  • ONU estima que mais 750 mil civis estejam em risco na cidade de Mossul
    1:39

    Mundo

    As Nações Unidas estimam que mais 750 mil civis estejam em risco na zona ocidental de Mossul, no Iraque. Mais de 10 mil pessoas fugiram da zona ocidental da cidade nos últimos quatro dias. Enquanto a população tenta escapar ao fogo cruzado, as forças iraquianas avançam sobre a cidade ainda controlada pelo Daesh.