sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

EUA afirmam que Estado Islâmico perdeu 25% a 30% do território que controlava no Iraque

O grupo Estado Islâmico perdeu o controlo de "25 a 30%" do território que controlava no Iraque após os ataques aéreos lançados pela coligação internacional e uma ofensiva iraquiana, disse na segunda-feira o Pentágono. 

Combates entre o exército iraquiano e os jihadistas em Ramadi.

Combates entre o exército iraquiano e os jihadistas em Ramadi.

© STRINGER Iraq / Reuters

O grupo radical tomou o controlo de grandes áreas do norte e partes do oeste do país há alguns meses, na sequência de uma ofensiva e da derrota de unidades militares iraquianas. 

Meses após o lançamento de uma campanha de ataques aéreos pela coligação liderada pelos Estados Unidos, e mobilização das forças iraquianas, o controlo de partes do país pelo grupo estado islâmico está a diminuir, defendeu o Pentágono. 

"O estado islâmico está lentamente a ser forçado a recuar", disse o porta-voz Steve Warren.

"As forças iraquianas e os ataques aéreos da coligação têm, sem qualquer sombra de dúvida, infligido alguns danos ao estado islâmico", acrescentou. 

O território perdido pelo estado islâmico foi estimado entre 13.000 a 17.000 quilómetros quadrados, segundo Warren.

Desde agosto, a coligação liderada pelos Estados Unidos conduziu ataques aéreos contra 3.244 posições do estado islâmico: 1.879 no Iraque e 1.365 na Síria. Os Estados Unidos levaram a cabo 80% dos ataques, segundo o Pentágono. 



Lusa
  • Da Al-Qaeda do Iraque ao Daesh

    Daesh

    Daesh é a mais recente denominação de um grupo radical islâmico (sunita) que pretende instituir um califado – um Estado dirigido por um único poder político e religioso regulamentado pela lei islâmica, a Sharia. Ainda limitado ao território conquistado à Síria e ao norte e oeste do Iraque, promete expandir-se e “quebrar as fronteiras” da Jordânia e do Líbano e “libertar” a Palestina. É liderado por Ibrahim Awad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai, conhecido como Abu Bakr al-Baghdadi, desde 2010, altura em que se chamava Al-Qaeda do Iraque e depois Estado Islâmico do Iraque. Em abril de 2013 o nome do grupo foi alterado para Daesh - Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIL em português, ISIS em inglês), quando agrupou a Al-Qaeda do Iraque e um ramo dissidente do grupo sírio Frente al-Nusra, constituído para combater o Presidente sírio Bashar al-Assad. A designação Estado Islâmico é anunciada em Junho de 2014 com a instituição do autodenominado califado e al-Baghdadi é proclamado califa Ibrahim.

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.