sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

EUA afirmam que Estado Islâmico perdeu 25% a 30% do território que controlava no Iraque

O grupo Estado Islâmico perdeu o controlo de "25 a 30%" do território que controlava no Iraque após os ataques aéreos lançados pela coligação internacional e uma ofensiva iraquiana, disse na segunda-feira o Pentágono. 

Combates entre o exército iraquiano e os jihadistas em Ramadi.

Combates entre o exército iraquiano e os jihadistas em Ramadi.

© STRINGER Iraq / Reuters

O grupo radical tomou o controlo de grandes áreas do norte e partes do oeste do país há alguns meses, na sequência de uma ofensiva e da derrota de unidades militares iraquianas. 

Meses após o lançamento de uma campanha de ataques aéreos pela coligação liderada pelos Estados Unidos, e mobilização das forças iraquianas, o controlo de partes do país pelo grupo estado islâmico está a diminuir, defendeu o Pentágono. 

"O estado islâmico está lentamente a ser forçado a recuar", disse o porta-voz Steve Warren.

"As forças iraquianas e os ataques aéreos da coligação têm, sem qualquer sombra de dúvida, infligido alguns danos ao estado islâmico", acrescentou. 

O território perdido pelo estado islâmico foi estimado entre 13.000 a 17.000 quilómetros quadrados, segundo Warren.

Desde agosto, a coligação liderada pelos Estados Unidos conduziu ataques aéreos contra 3.244 posições do estado islâmico: 1.879 no Iraque e 1.365 na Síria. Os Estados Unidos levaram a cabo 80% dos ataques, segundo o Pentágono. 



Lusa
  • Da Al-Qaeda do Iraque ao Daesh

    Daesh

    Daesh é a mais recente denominação de um grupo radical islâmico (sunita) que pretende instituir um califado – um Estado dirigido por um único poder político e religioso regulamentado pela lei islâmica, a Sharia. Ainda limitado ao território conquistado à Síria e ao norte e oeste do Iraque, promete expandir-se e “quebrar as fronteiras” da Jordânia e do Líbano e “libertar” a Palestina. É liderado por Ibrahim Awad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai, conhecido como Abu Bakr al-Baghdadi, desde 2010, altura em que se chamava Al-Qaeda do Iraque e depois Estado Islâmico do Iraque. Em abril de 2013 o nome do grupo foi alterado para Daesh - Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIL em português, ISIS em inglês), quando agrupou a Al-Qaeda do Iraque e um ramo dissidente do grupo sírio Frente al-Nusra, constituído para combater o Presidente sírio Bashar al-Assad. A designação Estado Islâmico é anunciada em Junho de 2014 com a instituição do autodenominado califado e al-Baghdadi é proclamado califa Ibrahim.

  • "Sobre este pântano, não é possível jogar futebol seriamente na próxima época"
    4:46

    Opinião

    David Borges esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, da SIC Notícias, onde analisou as acusações do FC Porto ao Benfica, no caso dos e-mails. O comentador da SIC disse que falta saber se "tudo é verdade" e se os documentos são verdadeiros, o que compete ao Ministério Público apurar. David Borges defendeu ainda que era "bom" que a investigação decorresse de forma rápida e profunda; e não acredita que perante a polémica, se consiga jogar "futebol seriamente", na próxima época.

  • O dia que roubou dezenas de vidas em Pedrógrão Grande
    3:47
  • Metade dos moradores de Sandinha recusaram sair das casas
    3:14
  • Habitantes de Várzeas tentam regressar à normalidade
    2:48
  • Corpos da tragédia em Pedrógão guardados em camião de alimentos
    8:11

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Duarte Nuno Vieira, médico legista, esteve esta quinta-feira, na Edição da Noite, para comentar o que já foi feito e o que falta fazer em Pedrógão Grande, depois de ter sido atingido pelos incêndios. O presidente do Conselho Europeu de Medicina Legal defendeu que guardar os corpos das vítimas mortais num camião de alimentos foi uma "maneira de solucionar o problema da forma possível", visto que não há espaço no Instituto Nacional De Medicina Legal.

  • Trump volta a garantir que não tentou interferir na investigação do FBI
    0:17

    Mundo

    O Presidente dos EUA reitera que não tentou interferir na investigação do FBI em relação às alegadas interferências da Rússia nas eleições presidenciais. Questionado sobre as gravações das conversas que manteve com o ex-diretor da polícia de investigação, James Comey, Donald Trump prometeu esclarecimentos num futuro breve.

  • "A informação pode ter saído depois da hora do exame de Português"
    1:19

    País

    O presidente da Confederação Nacional das Associações de Pais diz que é preciso aguardar pelas conclusões do relatório sobre a alegada fuga de informação do exame nacional de Português. Jorge Ascensão defende que a investigação deve causar o mínimo de impacto aos alunos que realizaram a prova.