sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

EUA afirmam que Estado Islâmico perdeu 25% a 30% do território que controlava no Iraque

O grupo Estado Islâmico perdeu o controlo de "25 a 30%" do território que controlava no Iraque após os ataques aéreos lançados pela coligação internacional e uma ofensiva iraquiana, disse na segunda-feira o Pentágono. 

Combates entre o exército iraquiano e os jihadistas em Ramadi.

Combates entre o exército iraquiano e os jihadistas em Ramadi.

© STRINGER Iraq / Reuters

O grupo radical tomou o controlo de grandes áreas do norte e partes do oeste do país há alguns meses, na sequência de uma ofensiva e da derrota de unidades militares iraquianas. 

Meses após o lançamento de uma campanha de ataques aéreos pela coligação liderada pelos Estados Unidos, e mobilização das forças iraquianas, o controlo de partes do país pelo grupo estado islâmico está a diminuir, defendeu o Pentágono. 

"O estado islâmico está lentamente a ser forçado a recuar", disse o porta-voz Steve Warren.

"As forças iraquianas e os ataques aéreos da coligação têm, sem qualquer sombra de dúvida, infligido alguns danos ao estado islâmico", acrescentou. 

O território perdido pelo estado islâmico foi estimado entre 13.000 a 17.000 quilómetros quadrados, segundo Warren.

Desde agosto, a coligação liderada pelos Estados Unidos conduziu ataques aéreos contra 3.244 posições do estado islâmico: 1.879 no Iraque e 1.365 na Síria. Os Estados Unidos levaram a cabo 80% dos ataques, segundo o Pentágono. 



Lusa
  • Da Al-Qaeda do Iraque ao Daesh

    Daesh

    Daesh é a mais recente denominação de um grupo radical islâmico (sunita) que pretende instituir um califado – um Estado dirigido por um único poder político e religioso regulamentado pela lei islâmica, a Sharia. Ainda limitado ao território conquistado à Síria e ao norte e oeste do Iraque, promete expandir-se e “quebrar as fronteiras” da Jordânia e do Líbano e “libertar” a Palestina. É liderado por Ibrahim Awad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai, conhecido como Abu Bakr al-Baghdadi, desde 2010, altura em que se chamava Al-Qaeda do Iraque e depois Estado Islâmico do Iraque. Em abril de 2013 o nome do grupo foi alterado para Daesh - Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIL em português, ISIS em inglês), quando agrupou a Al-Qaeda do Iraque e um ramo dissidente do grupo sírio Frente al-Nusra, constituído para combater o Presidente sírio Bashar al-Assad. A designação Estado Islâmico é anunciada em Junho de 2014 com a instituição do autodenominado califado e al-Baghdadi é proclamado califa Ibrahim.

  • A easyJet não está a oferecer bilhetes no Facebook. Cuidado, é uma burla

    País

    Se esteve no Facebook nos últimos dias, provavelmente reparou na oferta de dois bilhetes para uma viagem da easyJet, a propósito do 22.º aniversário da companhia aérea britânica. Uma viagem para dois tinha tudo para correr bem, não fosse um esquema de burla, criado para obter os dados pessoais dos utilizadores que partilham a publicação na rede social.

  • Brasileiros procuram Portugal
    3:59

    País

    Viver em Portugal é hoje em dia um grande sonho da classe média brasileira. De acordo com o Ministério dos Negócios Estrangeiros, só em 2016, o número de vistos de residência aumentarem em mais de 30%. A língua, a segurança e a qualidade de vida são as razões apontadas para a mudança. Todos os dias, no consulado português no Rio de Janeiro, para a obtenção de vistos.

  • Big Ben em silêncio durante quatro anos
    2:15

    Mundo

    Esta segunda-feira ficou marcada pelas últimas badaladas dos famosos sinos do Big Ben, em Londres, no Reino Unido. A torre, na qual está instalada o relógio mais famoso do mundo, vai entrar em obras e os sinos só vão voltar a tocar em 2021.

  • Garrafa lançada ao mar em Rhodes recebe resposta de Gaza
    1:43

    Mundo

    A história parece de filme, mas aconteceu numa praia de Gaza. Um casal britânico lançou uma garrafa com uma mensagem ao mar, em julho, na ilha grega de Rhodes. A garrafa foi encontrada por um pescador numa praia de Gaza, que aproveitou para enviar a resposta, na qual falou sobre as restrições impostas por Israel.