sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pelo menos 34 mortos em ofensiva jihadista no leste da Síria

Uma sangrenta batalha entre forças do regime e os jihadistas do grupo extremista Estado Islâmico fez pelo menos 34 mortos desde a noite de quarta-feira na cidade de Deir Ezzor, no leste da Síria, afirmou hoje uma organização não-governamental. 

© Ammar Abdullah / Reuters

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) indicou que 19 membros das forças pró-governamentais e 15 jihadistas' foram mortos na sequência da ofensiva do Estado Islâmico (EI) sobre Deir Ezzor e o aeroporto militar, localizado a sudeste da cidade.

Entre as vítimas, figura um general responsável pela defesa aérea do aeroporto militar, segundo o OSDH, que indicou que quatro soldados foram hoje decapitados pelo grupo extremista durante a tomada de um posto de controlo próximo do aeroporto.

"Um kamikaze fez-se explodir no posto de controlo que se encontra sob controlo do EI", disse o diretor da organização, Rami Abdel Rahmane.

"Tal permite ao EI aproximar-se do aeroporto", advertiu, acrescentando que os combates prosseguiram durante a madrugada e esta manhã, com bombardeamentos dos dois lados.

Os jihadistas controlam grande parte da província de Deir Ezzor e mais de metade da capital provincial homónima, estrategicamente situada na interseção de várias estradas importantes na Síria.

Se a tomar, o EI passará a controlar duas capitais provinciais, depois do 'assalto' a Raqa (norte), transformada na capital do "califado" autoproclamado pela organização jihadista.

A 40 quilómetros a sudeste de Damasco, uma explosão no interior de um avião estacionado no aeroporto militar de Belly fez 13 mortos, segundo o OSDH.

Além disso, no norte do país, pelo menos seis civis foram mortos na quinta-feira em ataques que tiveram como palco Aleppo, a antiga capital económica da Síria, dividida entre bairros rebeldes e controlados pelo exército desde julho de 2012.


Lusa
  • Da Al-Qaeda do Iraque ao Daesh

    Daesh

    Daesh é a mais recente denominação de um grupo radical islâmico (sunita) que pretende instituir um califado – um Estado dirigido por um único poder político e religioso regulamentado pela lei islâmica, a Sharia. Ainda limitado ao território conquistado à Síria e ao norte e oeste do Iraque, promete expandir-se e “quebrar as fronteiras” da Jordânia e do Líbano e “libertar” a Palestina. É liderado por Ibrahim Awad Ibrahim Ali al-Badri al-Samarrai, conhecido como Abu Bakr al-Baghdadi, desde 2010, altura em que se chamava Al-Qaeda do Iraque e depois Estado Islâmico do Iraque. Em abril de 2013 o nome do grupo foi alterado para Daesh - Estado Islâmico do Iraque e Levante (ISIL em português, ISIS em inglês), quando agrupou a Al-Qaeda do Iraque e um ramo dissidente do grupo sírio Frente al-Nusra, constituído para combater o Presidente sírio Bashar al-Assad. A designação Estado Islâmico é anunciada em Junho de 2014 com a instituição do autodenominado califado e al-Baghdadi é proclamado califa Ibrahim.

  • BE diz que é urgente preparar o país para a saída do euro
    1:10

    País

    Catarina Martins diz que é urgente preparar o país para o cenário de saída do euro. No final da reunião da mesa nacional do Bloco de Esquerda, a coordenadora do partido criticou o encontro de líderes europeus em Roma e disse ainda que a Europa da convergência chegou ao fim.

  • "Mais UE não significa mais Europa"
    0:50

    País

    O secretário-geral do PCP insiste nas críticas à União Europeia. Um dia depois da comemoração dos 60 anos do Tratado de Roma, Jerónimo de Sousa defendeu, no Seixal, que o modelo europeu está esgotado e prejudica vários países, incluindo Portugal.

  • Mais de 50 detidos pela GNR em 12 horas

    País

    A GNR fez 51 detenções entre as 20:00 de sábado e as 08:00 de hoje, 39 das quais por condução sob efeito do álcool ou sem carta, e três por violência doméstica, segundo um comunicado hoje divulgado.

  • "Um Lugar ao Sol"
    17:05
    Perdidos e Achados

    Perdidos e Achados

    SÁBADO NO JORNAL DA NOITE

    O Perdidos e Achados foi conhecer como eram as férias de outros tempos. Quando o Estado Novo controlava o lazer dos trabalhadores e criava a ilusão de um país exemplar. Na Costa de Caparica, onde é hoje o complexo do INATEL estava instalada a maior colónia de férias do país, chamava-se "Um Lugar ao Sol".

  • Monumentos de 7 mil cidades às escuras por 1 hora
    2:51