sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Número dois do "Estado Islâmico" morto em ataque aéreo no Iraque

O número 2 do auto-proclamado Estado Islâmico foi morto num ataque aéreo, no Iraque. O Ministério da Defesa iraquiano confirmou esta quarta-feira que Abu Alaa Al- Afri estava numa mesquita, que foi atingida por ataques da coligação liderada pelos Estados Unidos.

No local, estariam também dezenas de militantes do grupo extremista, que morreram igualmente no bombardeamento. (Arquivo)

No local, estariam também dezenas de militantes do grupo extremista, que morreram igualmente no bombardeamento. (Arquivo)

© Stringer . / Reuters

No local, estariam também dezenas de militantes do grupo extremista, que morreram igualmente no bombardeamento.

O comandante islamita estaria a substituir o líder do grupo terrorista, que ficou ferido num outro ataque, em março.

Há uma semana, o departamento de Estado norte-americano oferecia mais de 6 milhões de euros por informações sobre o paradeiro do número dois do auto-proclamando Estado Islâmico. 
  • Como não perder Barack e Michelle Obama nas redes sociais

    Mundo

    Sair da Casa Branca implica mais que reunir objetos físicos: é preciso guardar também os tweets, os posts e todo o conteúdo digital produzido nos últimos oito anos pelo Presidente dos EUA e pela primeira-dama. A equipa de Barack Obama já preparou tudo para que nada se perca do seu legado digital.

  • Portugueses querem contratar Obama

    Mundo

    Contratar Barack Obama. Pode parecer uma tarefa impossível, mas para a startup portuguesa Swonkie a única resposta a este desafio é "Yes We Can", mote da campanha presidencial de Obama de há nove anos.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.