sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Mais de 460 executados pelo Estado Islâmico na Síria no último mês

O grupo terrorista Estado Islâmico executou, pelo menos, 464 pessoas no último mês na Síria, o que eleva para 2.618 o número de assassinatos de capturados desde a autoproclamação do califado, em junho de 2014.

© Stringer . / Reuters

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH) refere hoje, em comunicado, que a contagem é recente, entre 28 de abril e 28 de maio deste ano, um período durante o qual metade das vítimas se registaram na cidade de Palmira, noticia a agência Efe.


Entre os mortos há 149 civis, dos quais 14 são menores de idade e treze são mulheres, afirma o OSDH, referindo ainda que 67 dos civis morreram em Palmira, uma antiga cidade na Síria central, localizada num oásis a cerca de 210 quilómetros a nordeste de Damasco e que foi dominada pelo Estado Islâmico (EI).


As autoridades sírias avançam um número de mortos superior e asseguram que o grupo radical Estado Islâmico decapitou, pelo menos, 400 pessoas, a maioria crianças, mulheres e idosos, em Palmira, desde 20 de maio, data em que o grupo terrorista dominou a cidade síria.


A maioria dos executados extrajudicialmente são efetivos do exército sírio e de milícias aliadas, no total 296, enquanto os restantes são combatentes rebeldes rivais do EI.


Os motivos alegados pelos jihadistas para assassinar estas pessoas são variados: apostasia, luta contra o EI, espionagem e cooperação com o regime sírio, blasfémia, tráfico de drogas e traição aos muçulmanos, entre outros.


O EI proclamou em finais de junho de 2014 um califado na Síria e no Iraque e conseguiu expandir-se apesar dos bombardeamentos da coligação internacional, iniciados a 23 de setembro de 2014. 


Há uma semana, o Observatório afirmou que o EI controlava mais de 50% do território sírio, o que equivale a 95.000 quilómetros quadrados, após os recentes avanços na província central de Homs, onde se encontra Palmira. 



Lusa
  • Jihadistas já controlam 50% da Síria
    1:50

    Daesh

    No Iraque, foi lançada a contra-ofensiva a Ramadi, a capital da maior província conquistada esta semana pelos jihadistas. O assalto foi lançado com as milícias xiitas e tribos sunitas, e não travou ainda a vaga de refugiados que tenta entrar em Bagdade. Os jihadistas já controlam 50% da Síria.

  • Jihadistas conquistam cidade síria de Palmira
    2:16

    Mundo

    Na Síria, os jihadistas do "Estado Islâmico" conquistaram a cidade histórica de Palmira e ameaçam já destruir as ruínas milenares classificadas Património da Humanidade. Com a conquista de Palmira, que provocou 500 mortos e a fuga da população, o movimento jihadista controla já 50 por cento do território sírio.

  • SIC faz-se à estrada para ouvir eleitores
    2:13
  • Furacão Maria ameaça Ilhas Virgens e Porto Rico

    Mundo

    O furacão Maria "potencialmente catastrófico" está a ameaçar as Ilhas Virgens e o Porto Rico, depois de esta terça-feira ter semeado a destruição na Dominica e provocado um morto e dois desaparecidos na ilha francesa de Guadalupe.

  • Pistolas Nerf podem causar graves lesões nos olhos

    Mundo

    As balas das pistolas Nerf, quando atingem os olhos, podem causar graves lesões. O aviso é de um grupo de médicos de Londres, que recomenda a utilização de óculos protetores e o aumento da idade mínima para a utilização dos brinquedos.

    SIC

  • Investigadores descobrem como transformar gordura "má" em gordura "boa"

    Mundo

    Uma equipa de investigadores da Universidade de Washington, Estados Unidos, descobriu como converter a gordura corporal "má" em gordura "boa", permitindo queimar mais calorias e atrasar o aumento de peso, num estudo conduzido em ratos. Estes resultados abrem caminho para a possibilidade de desenvolver tratamentos mais eficazes para a obesidade e para a diabetes associada ao aumento de peso em pessoas, segundo os autores.

  • Escola na Croácia usa imagem de Melania Trump para chamar alunos

    Mundo

    "Imagine até onde pode ir com um pouco de inglês", foi com estas palavras que uma escola de inglês da Croácia decidiu promover as suas aulas, juntando ainda a fotografia de Melania Trump ao placard do anúncio. Agora, a primeira-dama norte-americana ameaça levar o Instituo Americki a tribunal. Entretanto, o placard já foi retirado do local.

    SIC