sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Rebeldes sírios expulsam jihadistas de vila na província de Alepo

Rebeldes na Síria repeliram 'jihadistas' do autoproclamado Estado Islâmico (EI) de uma aldeia da província de Alepo, próxima da fronteira com a Turquia, onde o grupo tenta cortar um ponto de aprovisionamento 'chave' dos rebeldes, afirmou hoje uma ONG.    

Elementos de um grupo rebelde sírio.

Elementos de um grupo rebelde sírio.

© Stringer . / Reuters

Militantes também informaram que houve violentos confrontos entre as duas partes nos arredores de Mare, um dos principais feudos da rebelião na província de Alepo, que o EI quer conquistar a qualquer preço. 

Na guerra na Síria que dura há quatro anos, os rebeldes combatem o regime de Bachar al-Assad e o grupo 'jihadista', que se aproveitou do caos para se implantar no país, do qual já controla 50% do território, segundo a ONG Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH). 

"Os grupos rebeldes expulsaram o EI da aldeia de Al-Bal situada no norte da província de Alepo", afirma o OSDH. 

Al-Bal fica a uma dezena de quilómetros da passagem de Bab al-Salama na fronteira com a Turquia, principal ponto de aprovisionamento dos rebeldes de armas e combatentes. 

"O objetivo do EI é cortar esta passagem", segundo o diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane.

Nos combates, pelo menos 29 pessoas morreram nas últimas 24 horas, 14 da parte dos rebeldes e 15 'jihadistas'. 

Mais a sul, registaram-se confrontos entre 'jihadistas' e rebeldes nos arredores de Marea, referiram militantes. 

"O EI tentou em várias ocasiões assumir o controlo de Marea, mas em vão", afirmou Mamun Abu Omar, diretor de uma agência de imprensa local, Shahba Press.

"É um objetivo estratégico para eles ('jihadistas') porque Marea é um reservatório de combatentes e de armas para a rebelião", afirma o jovem Omar oriundo desta cidade. 

Marea também se localiza numa importante estrada para a fronteira turca. 

"O EI tenta cercar a cidade através da ocupação das aldeias circundantes", adianta Omar, que indica que houve combates nas últimas 24 horas em pelo menos duas aldeias vizinhas. 

A guerra na Síria, que começou com manifestações pacíficas contra o regime em 2011, reprimidas pela força, tornou-se um conflito complexo com múltiplas frentes. 

Nos últimos meses, a rebelião infligiu vários golpes ao regime no norte, designadamente na província de Idleb, e no sul, mas continua a ser ameaçada pelo EI, que quer ganhar terreno ao regime e à rebelião. 


Lusa
  • Porque é que Melania e Ivanka vestiram preto para conhecer o Papa

    Mundo

    Melania e Ivanka chegaram ao Vaticano de preto, uma escolha muito questionada. De vestidos longos e véus, as mulheres Trump seguiram assim o dress code aconselhado nas audiências com o Papa. Também Michelle Obama usou uma vestimenta do género, em 2009, quando visitou Bento XVI.

  • Oliveira e Costa condenado a 14 anos de prisão

    País

    O fundador do grupo SLN/BPN, José Oliveira e Costa, foi esta quarta-feira condenado pelo tribunal a uma pena de prisão efetiva de 14 anos pelos crimes de falsificação de documentos, fraude fiscal qualificada, burla qualificada e branqueamento de capitais. Dos 15 arguidos no processo, 12 foram condenados.

  • Escola de Vagos castiga alunos por protesto contra a homofobia e preconceito

    País

    Os alunos da Escola Secundária de Vagos, no distrito de Aveiro, organizaram um protesto contra o que consideram homofobia e preconceito. Segunda-feira, depois de duas alunas se terem beijado foram chamadas à direção da escola, que as terá informado que não podiam beijar-se em público. O protesto foi gravado e partilhado nas redes sociais. Em declarações à SIC Notícias, um dos alunos disse que todos os envolvidos no protesto vão ser alvos de um processo disciplinar. O Bloco de Esquerda já pediu esclarecimentos ao Ministério da Educação.

    EXCLUSIVO

    Rita Pedras