sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estado Islâmico destrói estátua importante do Museu de Palmira

O grupo extremista Estado Islâmico (EI) destruiu a estátua de um leão, na entrada do Museu de Palmira, no centro da Síria, revelou o diretor-geral das Antiguidades e Museus do país, Maamun Abdelkarim, à Efe.

A histórica cidade de Palmira foi tomada pelo Estado Islâmico

A histórica cidade de Palmira foi tomada pelo Estado Islâmico

© Omar Sanadiki / Reuters

"É a estátua mais importante que o EI destruiu até ao momento na Síria pelas suas dimensões e valor", explicou, em declarações ao telefone, indicando que a peça em causa foi destruída há uma semana.

A estátua, com uma altura de 3,5 metros e um peso de 15 toneladas, estava no jardim do Museu de Palmira, que se localiza nas proximidades das ruínas greco-romanas que tornaram famosa esta cidade do leste da província central de Homs. 

A peça, do século I AC, não sofreu qualquer dano durante os mais de quatro anos de guerra na Síria, porque as autoridades a protegeram com um placa de ferro e sacos de areia, o que, porém, não foi suficiente para a salvar das mãos dos 'jihadistas'.

Abdelkarim, que recebe informação sobre a situação no terreno através de testemunhos, assinalou que, de momento, nada indica que a parte arqueológica de Palmira tenha sofrido danos.

Por outro lado, apontou que oito estátuas de homens e mulheres, procedentes da antiga Palmira, em Manbech, um bastião do EI na província de Aleppo, foram destruídas hoje pelos extremistas.

Na semana passada, combatentes do grupo extremista destruíram dois antigos mausoléus muçulmanos na cidade história síria de Palmira, classificada pela Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura (UNESCO) como Património Mundial da Humanidade em 1980.

Os receios de uma eventual destruição do emblemático local têm vindo a aumentar, uma vez que os combatentes extremistas já destruíram diversos tesouros históricos, nomeadamente no Iraque.

Situada a cerca de 210 quilómetros a nordeste da capital síria de Damasco, a "pérola do deserto", como é apelidada esta cidade com mais de 2.000 anos, tem uma grande importância estratégica para o grupo radical.

 

Lusa

  • Polícia procura condutor da carrinha e outros dois suspeitos
    1:08
  • Negligência é a principal causa dos incêndios
    1:32

    País

    A Polícia Judiciária deteve mais dois suspeitos de fogo posto este fim de semana. Ao todo já foram detidas pelo menos 99 pessoas pelas autoridades desde o início do ano, a maioria suspeitas de agirem intencionalmente. Mas desde 1 de janeiro até meados deste mês, dos 8 mil incêndios investigados pela GNR, mais de 3.300 tiveram causa negligente. 

  • Concentração de motos em Góis
    2:28

    País

    Durante este fim de semana, decorre uma das concentrações de motards mais concorridas do país. A organização esperava cerca de 20 mil visitantes em Góis.

  • Um encontro português (e inesperado) em alto mar
    2:38