sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Obama será anfitrião de cimeira sobre a luta contra 'jihadistas' em setembro

O Presidente norte-americano, Barack Obama, recebe no próximo mês de setembro em Nova Iorque os líderes dos países que integram a coligação internacional que combate o grupo extremista Estado Islâmico na Síria e no Iraque, foi hoje divulgado.

© Jonathan Ernst / Reuters

Segundo fontes diplomáticas, citadas pela agência francesa AFP, a cimeira está prevista para 29 de setembro e terá como tema principal a luta contra o terrorismo e o extremismo violento.

As mesmas fontes indicaram que esta cimeira, que vai decorrer à margem da 70.ª sessão da Assembleia-geral das Nações Unidas, vai servir para os líderes internacionais fazerem um balanço e traçarem o futuro caminho da ofensiva contra o Estado Islâmico.

O encontro acontece um ano depois de Barack Obama ter defendido, durante uma intervenção nas Nações Unidas, um esforço multilateral contra o terrorismo e de ter apelado a uma mobilização moral.

"O grupo terrorista [Estado Islâmico] tem de ser desmembrado e, finalmente, derrotado", afirmou o líder norte-americano, em setembro de 2014, num discurso proferido na Assembleia-geral das Nações Unidas.

Ainda em 2014, os Estados Unidos conseguiram reunir uma coligação com mais de 50 países para combater o grupo radical sunita, que proclamou um "califado" em junho desse ano depois da conquista de Mossul, a segunda cidade iraquiana.

Desde então, os 'jihadistas' conquistaram território na Síria e no Iraque e ganharam posições na Líbia, Iémen e em outros locais no Médio Oriente. Também conseguiram alianças em outros lugares mais distantes, nomeadamente na Nigéria com o grupo extremista Boko Haram.

Os 'jihadistas' divulgaram hoje na rede social Twitter a imagem do corpo de um refém croata sequestrado no Egito. Tomislav Salopek, de 31 anos, é aparentemente a mais recente vítima do grupo extremista.

Em setembro do ano passado, Obama também presidiu ao Conselho de Segurança da ONU. Na altura, o órgão adotou uma resolução que pretendia travar o fluxo de combatentes estrangeiros para as fileiras 'jihadistas'.

Um ano depois, observadores da ONU relatam que o número de 'jihadistas' estrangeiros já atingiu pelo menos os 22 mil e que não existem sinais de abrandamento.

Lusa

  • Mais de 50 milhões de italianos decidem futuro do país
    1:43

    Mundo

    Este domingo, está nas mãos de mais de 50 milhões de eleitores italianos o futuro do país. Mais do que um voto à reforma constitucional, o referendo terá consequências políticas diretas no Governo italiano. As urnas fecham às 23h00, 22h00 em Lisboa. Os primeiros resultados são esperados meia hora depois.