sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estado Islâmico destruiu parte de templo mais importante de Palmira

Os jihadistas do grupo autoproclamado Estado Islâmico detonaram parte do templo de Bêl, considerado o mais importante da cidade antiga de Palmira na Síria, segundo uma organização não-governamental e militantes.

© Handout . / Reuters

A 23 de Agosto, os jihadistas que ocupam vastas regiões do país afundado numa guerra civil destruíram o templo de Baalshamin.

No domingo, homens do grupo Estado Islâmico colocaram explosivos no interior do templo de Bêl, destruindo parcialmente o edifício, indicou o Observatório Sírio dos Direitos do Homem (OSDH).

Mohammed Hassan al-Homsi, um militante de Palmira também referiu a destruição parcial do templo. "Eles usaram contentores e barris carregados de explosivos, preparados com antecedência", que destruíram o interior do templo, afirmou.

No entanto, o diretor-geral das antiguidades e dos museus na Síria, Maamoun Abdelkarim, disse não estar em condições de poder confirmar a destruição.

"Os rumores sobre as ruínas circulam todos os dias e é preciso ser cauteloso em relação a esse tipo de informações", disse o responsável sírio, que anunciou ele próprio a destruição do templo de Baalshamin.

Palmira, situada na província de Homs, no centro do país, é classificada como património da Humanidade. Foi conquistada em maio pelo Estado Islâmico, que já destruiu vários locais arqueológicos no Iraque, país vizinho da Síria.

Depois de tomar o controlo de Palmira, o Estado Islâmico atacou a cidade antiga em junho e executou mais de 200 pessoas, incluindo 20 num teatro antigo.

Lusa

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.