sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estado Islâmico destruiu torres funerárias em Palmira

O grupo extremista Estado Islâmico fez explodir pelo menos três das famosas torres funerárias de Palmira, no chamado Vale dos Túmulos, no deserto sírio, anunciou hoje o chefe de Antiguidades sírias, Maamun Abdulkarim.

© Gustau Nacarino / Reuters

"Eles fizeram explodir três das torres funerárias, aquelas que estavam mais bem conservadas, as mais belas", indicou, depois de o EI ter destruído, nas duas últimas semanas, dois dos mais importantes templos de Palmira.

"Recebemos informações há dez dias, mas só agora conseguimos confirmar a informação (...) através de imagens por satélite da Syrian Heritage Initiative, um instituto com sede nos Estados Unidos, que foram obtidas na quarta-feira", explicou o diretor de antiguidades e museus do Ministério da Cultura sírio.

Na opinião deste especialista, os monumentos destruídos são os túmulos de Elahbel, Jamblique e Khitôt "construídos por famílias da antiga Palmira e que eram um símbolo do desenvolvimento económico da cidade durante os primeiros séculos depois de Cristo".

"Palmira é conhecida pelas torres funerárias, que são características da arquitetura da cidade", lembrou Abdulkarim.

O EI, que aproveitou a guerra civil para ocupar grandes áreas da Síria, derrotou as forças governamentais sírias e conquistou Palmira, a 205 quilómetros a leste de Damasco, em 21 de maio.

A 23 de agosto, os 'jihadistas' destruíram com explosivos o templo de Baal-shamin em Palmira. Alguns dias antes, executaram o ex-responsável pelo património da cidade Khaled al-Assaad, de 82 anos.

No domingo, o EI destruiu o templo de Bel, "o mais belo símbolo de toda a Síria", de acordo com Abdulkarim.

A "pérola do deserto", como é apelidada esta cidade com mais de dois mil anos, tem grande importância estratégica para o grupo radical.

Lusa

  • Passos explica porque se sentiu irritado com Costa
    0:42

    Economia

    Depois das imagens em que surgiu visivelmente irritado com António Costa, no último debate quinzenal, Passos Coelho veio agora explicar porquê. Na discussão com o primeiro-ministro, o líder do PSD não gostou que Costa tivesse insinuado que a fuga de 10 mil milhões de euros para offshores tenha ocorrido por inação do Governo anterior.

  • Ferro Rodrigues desvaloriza críticas do CDS
    3:24

    Caso CGD

    Marcelo Rebelo de Sousa fez questão de receber em público Ferro Rodrigues antes de um almoço com o Presidente da Assembleia da República. O Presidente também recebeu a representante do CDS-PP, Assunção Cristas, que foi apresentar queixa de Ferro Rodrigues e da maioria de esqueda em relação à comissão de inquérito da Caixa Geral de Depósitos. Ferro Rodrigues desvalorizou as críticas de que foi alvo.

  • Regime de Pyongyang nega envolvimento na morte de Kim Jong-nam 
    1:53

    Mundo

    A polícia da Malásia diz que o irmão do líder da Coreia do Norte foi morto com uma arma química. Os investigadores encontraram vestígios de gás VX no corpo de Kim Jong-nam, um gás letal proibido pelas convenções internacionais. O Governo da Coreia do Sul pediu esta sexta-feira ao regime de Pyongyang que admita que está por detrás da morte de Kim Jong-nam mas o mesmo já veio negar o envolvimento no assassinato.