sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Filho do Mullah Omar diz que antigo líder talibã morreu de "causas naturais"

O Mullah Omar morreu de "causas naturais" depois de ter contraído hepatite C, afirmou um dos filhos do antigo líder talibã, numa tentativa de acabar com a controvérsia em torno da morte do fundador dos rebeldes islamitas afegãos.

© Naseer Ahmed / Reuters

"Posso assegurar que ele morreu de causas naturais", declarou o 'mullah' Yacoub, numa mensagem áudio divulgada no domingo e entretanto autentificada.

Na mesma mensagem, Yacoub frisou que o pai não foi morto por elementos internos do movimento ou por "inimigos do exterior".

"Ele morreu rapidamente quando a sua saúde começou a deteriorar-se. De acordo com as primeiras informações que recebemos dos médicos, foi-lhe diagnosticado hepatite C", referiu Yacoub, precisando que o pai morreu no Afeganistão e não no Paquistão, como informaram os serviços secretos afegãos.

O anúncio em finais de julho da morte do 'mullah' Omar, ocorrida em abril de 2013, gerou um clima de controvérsia no seio da rebelião islamita afegã.

Muitos comandantes acusaram a direção do movimento de ter mentido durante dois anos sobre o paradeiro do líder, bem como de ter utilizado indevidamente a identidade do antigo líder para divulgar declarações.

Estas acusações recaíram principalmente sobre o 'mullah' Akhtar Mansur, antigo "braço direito" do 'mullah' Omar que foi escolhido para ser o novo "comandante dos fiéis".

O próprio processo de designação esteve envolvido em polémica, com várias vozes a considerarem a nomeação "não consensual" e "acelerada".

Uma dessas vozes foi Yacoub, o filho mais velho do fundador dos talibãs, que assumiram o poder em Cabul entre 1996 e 2001.

Esta controvérsia também alimentou várias teorias sobre as causas da morte de um dos homens mais procurados pelos Estados Unidos, uma vez que o 'mullah' Omar tinha acolhido Usama bin Laden, o mentor dos atentados do 11 de setembro de 2001.

Alguns combatentes sugeriram que o fundador do movimento talibã tinha sido assassinado.

Na mesma mensagem áudio, o filho mais velho do 'mullah' Omar apelou à unidade dos talibãs.

"O mais importante para nós é manter a nossa unidade. (...) Estou pronto para me sacrificar pela unidade, estou pronto para realizar um atentado-suicida se isso assegurar a unidade" dos talibãs, acrescentou Yacoub.

Lusa

  • A estreia de Centeno como líder do Eurogrupo
    1:56
  • Puigdemont chegou à Dinamarca e não foi detido

    Mundo

    A Justiça espanhola pediu à Dinamarca para ativar a ordem de detenção europeia contra Carles Puigdemont, que ignorou as ameaças de detenção e decidiu deslocar-se a Copenhaga para participar numa conferência. Entretanto na Catalunha, o presidente do parlamento propôs Puigdemont para voltar a dirigir o Governo Regional.

  • Eleição de Rio "embaraça" PCP e BE
    0:34

    Opinião

    Luís Marques Mendes considera que a eleição de Rui Rio veio criar embaraço ao PCP e Bloco de Esquerda. O comentador da SIC considera que a promessa de que venha a haver pactos de regime entre PS e PSD é motivo de preocupação para os parceiros do Governo.

    Luís Marques Mendes

  • O caso Assange é "um problema" para o Equador

    Mundo

    O Presidente equatoriano, Lenin Moreno, declarou no domingo que o asilo atribuído ao fundador do WikiLeaks, Julian Assange, pela embaixada do Equador em Londres desde 2012 é "um problema herdado" que constitui "mais que um aborrecimento".