sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Avião da coligação teve de mudar de rota para evitar aparelho russo

A coligação que combate o grupo extremista Estado Islâmico teve de alterar a rota de um seu avião sobre a Síria para evitar que este se aproximasse de um aparelho russo, informou hoje o Pentágono.

© Murad Sezer / Reuters

"Houve pelo menos uma vez" uma circunstância em que a coligação liderada pelos EUA "teve de agir para modificar a rota" de um dos seus aviões, indicou um porta-voz do Pentágono, Jeff Davis.

Os aviões russos estão a fazer bombardeamentos na Síria desde há uma semana. O ministro da Defesa russo, Serguei Shoigou, já afirmou que os aparelhos tinham atacado 12 alvos desde o início da operação.

Entretanto, os russos usaram pela primeira vez mísseis, disparados a partir de navios no Mar Cáspio, para atingir alvos na Síria.

Desde 30 de setembro, dia do início dos bombardeamentos russos, a coligação realizou 43 ataques na Síria, segundo um levantamento feito pela AFP, com base nos comunicados diários da coligação.

Questionado sobre o número de vezes que a coligação teve de reorientar os seus aviões, o porta-voz esquivou-se a responder.

"Tivemos de mudar a rota do avião, isso ocorre milhares de vezes por dia no céu [norte-]americano", relativizou.

Revigorado pelo apoio dos bombardeamentos russos, o exército sírio lançou hoje uma vasta ofensiva terrestre no norte da província de Hama, no centro do país.

Lusa

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45

    País

    Durante a abertura do ano judicial, a Procuradora-Geral da República e o presidente do Supremo Tribunal aproveitaram para deixar um recado à ministra da Justiça: é urgente aprovar o novo estatuto de juízes e magistrados. O presidente do Supremo diz que é injusta a má imagem da Justiça e pediu contenção aos magistrados.

  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38