sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Rússia desmente ter atingido hospital em ataque aéreo na Síria

A Rússia desmentiu hoje as informações de uma organização não-governamental sediada no Reino Unido de que um ataque aéreo russo tinha atingido um hospital de campanha na Síria, causando 13 mortos.

Imagem fornecida pelo Ministério da Defesa russo de um ataque contra uma "posição terrorista" em Aleppo, a 21 de outubro.

Imagem fornecida pelo Ministério da Defesa russo de um ataque contra uma "posição terrorista" em Aleppo, a 21 de outubro.

RUSSIAN DEFENCE MINISTRY PRESS SERVICE / HANDOUT

"Quero desmentir todas essas informações", declarou a porta-voz da diplomacia russa, Maria Zakharova, durante uma conferência de imprensa, adiantando "admirar a imaginação" dos seus autores.

O Observatório Sírio dos Direitos Humanos (OSDH), com sede em Londres, afirmou na quarta-feira à agência France Presse que pelo menos 13 pessoas tinham sido mortas num ataque aéreo russo a um hospital de campanha em Sarmine, na província de Idleb, no noroeste da Síria.

O OSDH possui uma vasta rede de fontes em todo o território sírio.

A clínica foi "significativamente danificada" pelos bombardeamentos e dois dos seus funcionários foram mortos, confirmou à AFP uma funcionária da Sociedade Médica Sírio-Norte-Americana (SAMS, na sigla em inglês), que gere a unidade, sem precisar se os ataques tinham sido efetuados por aviões russos.

"São divulgadas frequentemente falsas informações indicando como fonte o Observatório Sírio dos Direitos Humanos", disse Zakharova, ironizando: "É muito cómodo informar sobre o que se passa na Síria a partir de Londres, sem uma deslocação ao terreno".

A porta-voz lamentou que "vários media utilizem informações daquela ONG como uma fonte fiável e sólida, apesar de nos últimos dias várias das suas informações terem sido desmentidas".

A aviação russa diz ter atingido diariamente dezenas de alvos "terroristas" - do grupo radical Estado Islâmico e da Frente al-Nosra, ramo sírio da Al-Qaida - desde que iniciou a campanha na Síria, a 30 de setembro, com o acordo do regime de Damasco, do qual Moscovo é um aliado tradicional.

Países ocidentais acusam Moscovo de visar quase exclusivamente províncias onde as forças governamentais realizam ofensivas contra a oposição considerada moderada e onde não está o EI.

Segundo o OSDH, os cerca de 500 ataques já realizados pela aviação russa mataram mais de 370 pessoas, incluindo pelo menos 127 civis.

Lusa

  • Não houve negligência médica no caso do jovem que morreu em São José
    2:33

    País

    Afinal, não houve negligência médica no caso do jovem que morreu há cerca de um ano no Hospital de São José, vítima de um aneurisma. Esta é a conclusão da Ordem dos Médicos e dos peritos do Instituto de Medicina Legal. Segundo o jornal Expresso, todos os relatórios relatórios pedidos pelo Ministério Público e pelo Centro Hospitalar de Lisboa Central dizem que o corpo clínico do hospital não teve responsabilidades na morte de David Duarte.

  • Jovens estariam de fones e poderão não ter ouvido comboio a aproximar-se
    1:47

    País

    As adolescentes, de 13 e 14 anos, encontradas mortas junto à linha do norte perto de Coimbra podem não ter ouvido a aproximação do comboio, uma vez que estariam de auriculares. Os corpos só foram descobertos 36 horas depois do desaparecimento das jovens, aparentemente vítimas de um descuido fatal.

  • Patti Smith engana-se na música de Bob Dylan durante cerimónia dos Nobel
    1:49

    Mundo

    Os prémios Nobel deste ano já foram entregues. Bob Dylan não compareceu à entrega do galardão da Literatura e fez-se representar pela amiga Patti Smith, que teve um bloqueio enquanto cantava "A Hard Rain's A-Gonna Fall" do músico. O Presidente da Colômbia Juan Manuel dos Santos foi distinguido com o Nobel da paz pelo acordo que alcançou com as Forças Armadas Revolucionárias da Colômbia.

  • CIA acredita que Trump foi ajudado por piratas informáticos russos
    1:24

    Eleições EUA 2016

    As eleições nos Estados Unidos da América já terminaram e o Presidente está eleito. Contudo, Barack Obama quer saber se os russos tentaram mesmo influenciar o voto e ao mesmo tempo perceber o que os serviços secretos aprenderam com todas as fugas de informação durante a campanha. Já a CIA diz não ter dúvidas: para os serviços secretos norte-americanos, Donald Trump foi ajudado por piratas informáticos.