sicnot

Perfil

Daesh

EUA enviam forças especiais para a Síria na guerra contra o grupo Estado Islâmico

EUA enviam forças especiais para a Síria na guerra contra o grupo Estado Islâmico

O secretário de Estado norte-americano garante que o envio de forças especiais para a Síria é apenas para combater o grupo Estado Islâmico. John Kerry diz que a intenção de Barack Obama não é interferir na guerra civil, nem na política do presidente Bashar Al-Assad. Os EUA anunciaram ainda que enviarão mais 100 milhões de dólares (90,8 milhões de euros) para ajudar a oposição síria, declarou o secretário de Estado adjunto, Tony Blinken.

De acordo com o responsável, a ajuda pretende fortalecer as instituições locais e provinciais, além de melhorar as infraestruturas de água e luz.

Com estes novos fundos, Washington soma 500 milhões de dólares (454 milhões de euros) de ajuda à oposição moderada ao regime do Presidente Bashar Al-Assad, desde 2012.

Os fundos também servirão para fortalecer a resposta aos serviços de emergência e ajudar os ativistas da sociedade civil.

Segundo um comunicado do Departamento de Estado norte-americano, parte desta nova ajuda inclui uma contribuição adicional de 15 milhões de dólares (13,6 milhões de euros) para o Fundo de Recuperação da Síria/ SRTF, sigla em inglês), para o qual são enviadas as contribuições de 14 países.

Através deste fundo, nos últimos dois anos, as nações doadoras puderam levar a cabo 20 projetos que beneficiaram dois milhões de sírios que vivem nas zonas controladas pela oposição moderada e possibilitaram melhoras no acesso à saúde, alimentos e eletricidade, indicou o Departamento de Estado na sua nota.

O conflito na Síria teve início em março de 2011 e já deixou mais de 250 mil mortos e 13 milhões de refugiados, numa onda de deslocados sem precedentes desde a II Guerra Mundial, segundo dados da ONU.

  • Os números das eleições francesas
    0:50

    Eleições França 2017

    Os resultados definitivos mostram que Emmanuel Macron obteve 24% dos votos, na primeira volta das eleições francesas. Ficou quase três pontos à frente de Marine Le Pen, que conseguiu 21,3%. Os números oficiais, publicados pelo Ministério do Interior, dão ainda conta da taxa de abstenção: 22,2%, um ligeiro aumento face à primeira volta das presidenciais de 2012.

  • ASAE encerra em média um restaurante por dia
    1:33
  • Grupo de brasileiros em assalto milionário no Paraguai
    1:24