sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Operação policial contra rede jihadista em Itália e na Noruega

A polícia italiana anunciou hoje uma operação contra uma rede jihadista na Europa que planeava alegadamente uma série de ações para libertar o seu líder, detido na Noruega.

Os suspeitos são discípulos do mullah Krekar, um pregador fundamentalista curdo que vive na Noruega.

Os suspeitos são discípulos do mullah Krekar, um pregador fundamentalista curdo que vive na Noruega.

© Scanpix Norway / Reuters

A ação policial visou 17 pessoas em toda a Europa, 16 curdos e um kosovar. Seis foram detidos em Itália, quatro no Reino Unido e três na Noruega. Vários suspeitos partiram para o Iraque e Síria para combater nas fileiras do grupo extremista Estado Islâmico (EI), afirmou a polícia.

De acordo com os investigadores, estes suspeitos são discípulos de Najmuddin Ahmad Faraj, conhecido como mullah (mestre) Krekar, um pregador fundamentalista curdo iraquiano de 59 anos, que vive na Noruega desde 1991.

"A importância desta operação é a de ter desmantelado uma célula integrada que incluía, além da Itália, Reino Unido, Noruega, Finlândia, Suíça e Alemanha", declarou a imprensa o comandante Giovanni Governale, um responsável do grupo de operações especiais (ROS) da guarda italiana (Arma dei carabinieri).

A rede desenvolvia as atividades "na internet através de procedimentos 'negros', plataformas pouco conhecidas nas quais se conseguiu entrar", acrescentou.

A operação das forças de segurança permitiu "anular um processo de recrutamento, de envio para combate no estrangeiro", precisou.

O comandante Governale afirmou que o grupo "preparava-se para continuar o envio para o estrangeiro de vários jihadistas", tal como "atentados, incluindo atentados suicidas, para tentar libertar o líder, mullah Krekar".

Na Noruega, o mullah Krekar é considerado como uma ameaça à segurança do país e, em 2003, foi decretada ordem de expulsão que ainda não foi executada por não existirem garantias sobre o que lhe pode acontecer no Iraque, onde pode ser condenado à pena de morte e executado.

Krekar fundou o grupo fundamentalista Ansar al-Islam, mas afirmou já ter abandonado a liderança do grupo em 2002. Juntamente com este grupo, Krekar foi incluído na lista de pessoas e organizações terroristas dos Estados Unidos e da ONU.

Lusa

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.