sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Estado Islâmico, "os primeiros terroristas das redes sociais"

O secretário de Defesa norte-americano disse que o grupo extremista Estado Islâmico tem "menos capacidade de atuação" nos EUA do que na Europa, mas advertiu para o novo desafio de enfrentar "os primeiros terroristas das redes sociais".

"O Estado Islâmico é um fenómeno novo. São os primeiros terroristas das redes sociais, tal como a Al-Qaeda foram os primeiros terroristas da Internet", disse Ashton Carter na segunda-feira, numa conferência organizada pelo diário "The Wall Street Journal" em Washington.

Carter disse que os jihadistas têm "menos capacidade para atacar nos Estados Unidos do que na Europa", devido às maiores "ligações" de cidadãos europeus com o Médio Oriente e a proximidade geográfica.

Carter insistiu que a maior ameaça para os Estados Unidos são os chamados "lobos solitários", pessoas nascidas e criadas no país que se radicalizam estimuladas pela propaganda do EI, como foi o caso do atentado de Chattanooga (Tennessee), que causou seis mortos há meses.

O grupo extremista Estado Islâmico reivindicou no sábado, em comunicado, os atentados de sexta-feira em Paris, que causaram pelo menos 129 mortos, entre os quais dois portugueses.

De acordo com o último balanço feito pelos hospitais, das 415 pessoas que foram atendidas nos hospitais após os ataques, pelos menos 42 feridos continuavam no domingo à tarde em vigilância intensiva em unidades de reanimação.

Os ataques, perpetrados por pelo menos sete terroristas, que morreram, ocorreram em vários locais da cidade, entre eles uma sala de espetáculos e o Stade de France, onde decorria um jogo de futebol entre as seleções de França e da Alemanha.

A França decretou o estado de emergência e restabeleceu o controlo de fronteiras na sequência daquilo que o Presidente François Hollande classificou como "ataques terroristas sem precedentes no país".

Lusa

  • Atropelamento em Copacabana fere 15 e mata bebé de 18 meses
    1:13

    Mundo

    Pelo menos uma pessoa morreu e 15 ficaram feridas num atropelamento na praia de Copacabana, no Rio de Janeiro, no Brasil. O condutor, um homem de 41 anos, diz ter perdido o controlo do carro, invadiu a calçada, percorreu 15 metros e só parou no areal de uma das zonas mais turísticas do Brasil. A polícia militar confirmou, entretanto, em comunicado que não há qualquer indício de que se tenha tratado de um ataque terrorista e avançou que o condutor sofreu um ataque de epilepsia.

  • A casa dos horrores
    7:57
  • PGR e presidente do Supremo deixam recado à ministra da Justiça
    2:45
  • Rui Rio tem sentido "alguma turbulência" no PSD
    2:01

    País

    Rui Rio e Pedro Passos Coelho tiveram esta quinta-feira a primeira reunião, desde que foi eleito o novo líder do PSD. À saída, Passos Coelho desejou que esta transição decorra com naturalidade. Já Rui Rio disse que tem sentido alguma turbulência no partido.

  • Sindicatos rejeitam fim das baixas médicas até três dias
    2:02

    País

    A CGTP quer levar o tema das baixas médicas à Concertação Social, já a UGT diz que há outras matérias prioritárias. Ainda assim as duas centrais sindicais lembram que a não justificação de faltas pode dar origem a um despedimento por justa causa. Esta quinta-feira o bastonário da Ordem dos Médicos propôs ao Governo que acabe com as baixas de curta duração, até três dias.

  • Papa interrompe percurso no Chile para ajudar polícia
    0:21
  • "Mundo à Vista" no Gana
    7:38