sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Rússia colabora com coligação anti-Daesh se for respeitada soberania de Damasco

A Rússia declarou-se hoje pronta a cooperar com a coligação dirigida pelos Estados Unidos contra o grupo radical Daesh, auto-proclamado Estado Islâmico, na Síria na condição de ser respeitada a soberania das autoridades de Damasco.

© Leonhard Foeger / Reuters

"Estamos prontos para uma cooperação prática com os países da coligação e a trabalhar com eles para definir os pormenores, que, naturalmente, respeitariam a soberania da Síria e as prorrogativas do governo sírio", declarou o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, citado pelas agências noticiosas russas.

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo declarou-se convencido que "com uma abordagem pragmática" poderá ser encontrada uma solução.

Após os atentados de sexta-feira em França, os ocidentais e a Rússia começaram a aproximar as suas posições sobre o dossier sírio e decidiram, com os parceiros do G20, reforçar a sua cooperação contra a ameaça 'jihadista'.

Mas Rússia e Irão de um lado e ocidentais e países árabes do outro continuam a discordar quanto ao futuro do presidente sírio, Bashar al-Assad.

"Assad representa os interesses de uma parte substancial da sociedade síria, é por isso que não chegaremos a uma resolução pacífica (do conflito) sem a sua participação", adiantou.

Lavrov lamentou que a vontade de cooperar contra o terrorismo só tenha aparecido "depois de uma tragédia", referindo-se aos atentados em Paris, reivindicados pelo Daesh, que causaram pelo menos 129 mortos.

"Espero que não estejamos à espera de mais desgraças (...) e que ajamos a montante, porque os terroristas não brigam entre eles e põem-se de acordo", disse ainda.

Lusa

  • As primeiras decisões do Presidente Trump
    1:39
  • "Há sobretudo um fosso entre o discurso que Trump faz e os de Obama"
    6:13

    Opinião

    Cândida Pinto e Ricardo Costa analisaram a tomada de posse de Donald Trump. O diretor de informação da SIC disse que o discurso de Trump "mexe com a sua base de apoio" e defende que "a grande questão não vai ser a relação com a Rússia, mas sim com a China". Já a Editora de internacional disse que o discurso foi "voltado para dentro, nacionalista, partidarista, com ataque à elite de Washington".

    Ricardo Costa e Cândida Pinto

  • Celebridades protestam contra Trump
    3:00

    Mundo

    Tem sido assim desde a campanha e continua. Grande parte da comunidade de artistas não está nada contente com o Presidente eleito. Vários artistas aproveitaram o dia da tomada de posse para se reunirem em Nova Iorque e protestarem contra Donald Trump.

  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Cantora brasileira conhecida pela "Lambada" terá sido assassinada
    1:25

    Mundo

    Terá sido assassinada a cantora brasileira conhecida em Portugal pela "lambada", um ritmo que marcou o fim dos anos 90. Foi encontrada carbonizada dentro do próprio carro depois de assaltada em casa. Três suspeitos suspeitos do homicídio da cantora Loalwa Braz foram já detidos.