sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Rússia colabora com coligação anti-Daesh se for respeitada soberania de Damasco

A Rússia declarou-se hoje pronta a cooperar com a coligação dirigida pelos Estados Unidos contra o grupo radical Daesh, auto-proclamado Estado Islâmico, na Síria na condição de ser respeitada a soberania das autoridades de Damasco.

© Leonhard Foeger / Reuters

"Estamos prontos para uma cooperação prática com os países da coligação e a trabalhar com eles para definir os pormenores, que, naturalmente, respeitariam a soberania da Síria e as prorrogativas do governo sírio", declarou o chefe da diplomacia russa, Serguei Lavrov, citado pelas agências noticiosas russas.

O ministro dos Negócios Estrangeiros russo declarou-se convencido que "com uma abordagem pragmática" poderá ser encontrada uma solução.

Após os atentados de sexta-feira em França, os ocidentais e a Rússia começaram a aproximar as suas posições sobre o dossier sírio e decidiram, com os parceiros do G20, reforçar a sua cooperação contra a ameaça 'jihadista'.

Mas Rússia e Irão de um lado e ocidentais e países árabes do outro continuam a discordar quanto ao futuro do presidente sírio, Bashar al-Assad.

"Assad representa os interesses de uma parte substancial da sociedade síria, é por isso que não chegaremos a uma resolução pacífica (do conflito) sem a sua participação", adiantou.

Lavrov lamentou que a vontade de cooperar contra o terrorismo só tenha aparecido "depois de uma tragédia", referindo-se aos atentados em Paris, reivindicados pelo Daesh, que causaram pelo menos 129 mortos.

"Espero que não estejamos à espera de mais desgraças (...) e que ajamos a montante, porque os terroristas não brigam entre eles e põem-se de acordo", disse ainda.

Lusa

  • Os momentos que marcaram o 7.º dia de Mundial
    1:08
  • "Ronaldos nascem na Rússia como cogumelos"
    1:49
  • Os momentos descontraídos dos jogadores
    1:54
  • Ronaldo no País dos Sovietes: O humor russo
    1:32
  • Schulz responde a Trump: "é um especialista em estatísticas criminais"

    Mundo

    "Donald Trump é um especialista em estatísticas criminais: pagamentos a estrelas porno, contactos ilegais com russos e diretores de campanha presos". Foi assim que o deputado alemão Martin Schulz respondeu ao Presidente norte-americano, depois de este ter afirmado várias vezes que a criminalidade na Alemanha aumentou devido à imigração.

    SIC

  • "Vou pedir a alguém que dê esta notícia por mim". Jornalista emociona-se com o caso dos bebés mexicanos separados das famílias
    0:49