sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Caças descolaram do porta-aviões francês Charles de Gaulle para missões no Iraque e na Síria

Os caças franceses descolaram hoje do porta-aviões Charles de Gaulle, no Mediterrâneo oriental, para as primeiras missões em zonas controladas pelo grupo extremista Estado Islâmico (EI) na Síria e no Iraque, divulgaram fontes militares.

© Jean-Paul Pelissier / Reuters

Os caças Rafale da Força Aérea francesa, equipados com bombas, descolaram do convés de aterragem do Charles de Gaulle, segundo testemunhou uma jornalista da agência francesa AFP.

Nenhuma informação foi avançada até ao momento sobre a natureza específica destas primeiras missões, vigilância ou bombardeamento, que ocorrem dez dias depois dos atentados em Paris, reivindicados pelos 'jihadistas' do EI e que fizeram 130 mortos.

"Vamos intensificar os nossos ataques, vamos escolher os alvos que provocarão os maiores danos possíveis a este exército terrorista", declarou, hoje de manhã, o Presidente francês, François Hollande.

Os 26 aviões de combate que estão a bordo do porta-aviões Charles de Gaulle triplicam a capacidade das forças aéreas francesas nesta região. A França já contava com 12 caças estacionados nos Emirados Árabes Unidos e na Jordânia: seis Rafale e seis Mirage 2000.

Segundo uma fonte militar francesa, os caças do porta-aviões Charles de Gaulle -- Rafale e Super Etendard -- devem ficar fora do alcance dos sistemas de defesa antiaérea da Síria, ao passarem pela Turquia (para as rotas a norte) e pela Jordânia (para as rotas a sul).

Nas manobras aéreas, a coordenação para evitar qualquer incidente com as forças russas, presentes na região noroeste da Síria, é feita a partir do quartel-general da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos no Qatar.

No que diz respeito às manobras marítimas, os Estados-maiores francês e russo começaram na semana passada a trocar informações. O porta-aviões Charles de Gaulle está a intervir numa zona onde a frota russa é uma presença regular, particularmente ao largo da Síria.

Após a recente queda de um avião de uma companhia russa (MetroJet) na península do Sinai (Egito), reivindicada pelo EI, o Presidente russo, Vladimir Putin, ordenou bombardeamentos contra as posições 'jihadistas' na Síria. O chefe de Estado russo ordenou também que a Marinha russa trabalhe com os franceses "como aliados".

Após a missão no Mediterrâneo, cuja data de conclusão não foi divulgada, o porta-aviões Charles de Gaulle prossegue a sua rota para o Golfo, onde deverá render um porta-aviões norte-americano.

Lusa

  • Ministra emocionou-se no Parlamento
    2:26

    Tragédia em Pedrógão Grande

    A ministra da Administração Interna disse esta quarta-feira no Parlamento que está, desde a primeira hora, a recolher, analisar e cruzar todos os dados do incêndio de Pedrógão Grande. Constança Urbano de Sousa emocionou-se diante dos deputados e admitiu que tem ainda muitas dúvidas sobre o que aconteceu. Foi pedido um estudo independente ao funcionamento do sistema de comunicações de emergência e uma auditoria à Secretaria-Geral da Administração Interna, a entidade gestora do SIRESP. A ministra explicou porquê.

  • "O que mais tem havido nesta altura são respostas precipitadas"
    7:21

    Opinião

    Foi um "debate contido" o de hoje, no Parlamento, sobretudo no frente-a-frente entre António Costa e Passos Coelho, na opinião de Bernardo Ferrão. O subdiretor de informação da SIC sublinha uma declaração "mortal" do primeiro-ministro, quando este disse que "ninguém quer respostas precipitadas". Por outro lado, a comissão técnica independente pedida pelo PSD pode virar-se contra o próprio partido.

    Bernardo Ferrão

  • NotPetya: Lourenço Medeiros explica o novo ciberataque global
    2:44

    Mundo

    A Ucrânia está a ser seriamente afetada por um novo ataque informático. Algumas empresas de grande dimensão estão a ser prejudicadas, agravando a dimensão global do ataque, o qual não parece ser dirigido a ninguém em concreto. Ontem, nas primeiras horas do ataque, não parava de crescer o número de vítimas.

  • Caricaturas de Trump invadem capital do Irão

    Mundo

    O Irão está a organizar um concurso internacional de caricaturas do Presidente norte-americano Donald Trump. Pelas ruas de Teerão já vão surgindo algumas imagens alusivas ao festival que vai realizar-se no próximo mês de julho.

  • De onde vem o dinheiro de Isabel II?

    Mundo

    A rainha Isabel II vai ser aumentada - pelo exercício das suas funções -, em 2018, para 82,2 milhões de libras (93,5 milhões de euros). Este valor é pago pelo Estado britânico. Contudo, esta não é a única fonte de rendimento da rainha de Inglaterra. Isabel II também recebe pelas terras, casas e empresas que tem espalhadas pelo Reino Unido.

  • Companhia aérea obriga deficiente físico a entrar no avião sem ajuda

    Mundo

    Um homem com uma deficiência física que o obriga a andar numa cadeira de rodas foi obrigado a subir sozinho as escadas de um avião da companhia aérea Vanilla Air. Hideto Kijima deparou-se com a situação quando estava a embarcar da ilha de Amami para Osaka, no Japão, com vários amigos que foram proibidos de o ajudar.