sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Bruxelas quer criminalização de viagens para fins terroristas

A Comissão Europeia quer criminalizar viagens com fins terroristas, tanto dentro como fora da União Europeia, para travar o fenómeno dos combatentes jihadistas estrangeiros, segundo uma proposta de diretiva hoje apresentada.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Ina Fassbender / Reuters

O executivo comunitário pretende também a criminalização de qualquer apoio logístico e material a viagens com fins terroristas, assim como receber formação com a "possibilidade de levar à realização de infrações terroristas".

A proposta de diretiva europeia prevê também a criminalização do fornecimento de fundos para atividades terroristas.

O documento reforça também as regras contra o recrutamento, a formação para fins terroristas e a difusão de propaganda terrorista, incluindo na Internet.

A proposta da Comissão Europeia complementa uma diretiva de 2012 sobre os direitos das vítimas para garantir que pessoas afetadas pelo terrorismo possam aceder de imediato a serviços de apoio profissional, bem como a informações sobre os seus direitos.

As medidas integram um pacote de combate ao terrorismo e ao tráfico de armas de fogo e explosivos, com a Comissão Europeia a recordar que os "ataques terroristas atrozes de 13 de novembro em Paris mostraram que a Europa precisa de aumentar a resposta comum" nesta área.

O vice-presidente da Comissão Europeia, Frans Timmermans, afirmou a determinação em ajudar todos os Estados-membros a derrotar a ameaça terrorista, e a necessidade de atualizar o quadro legal comunitário face ao aumento de europeus a viajar para se tornarem "combatentes estrangeiros".

"A cooperação a nível da União Europeia com países terceiros também é necessária para acabar com o mercado negro das armas de fogo e explosivos", afirmou.

Por seu lado, o comissário para as migrações e assuntos internos, Dimitris Avramopoulos considerou que estas propostas honram a "promessa de se ser firme com o terrorismo".

"A nossa proposta visa não apenas quem comete as atrocidades terroristas, mas também aqueles que ajudam nas viagens, financiam ou apoiam o terrorismo", acrescentou.

As propostas integram a Agenda Europeia para a Segurança adotada em abril de 2015 e "face aos recentes acontecimentos, a sua implementação foi significativamente acelerada".

Lusa

  • Frio no fim de semana, regiões do interior podem chegar aos -5 °C
    1:23

    País

    A Proteção Civil emitiu um alerta para o tempo frio e seco e pede cuidados redobrados. As temperaturas já começaram a descer, com regiões a registarem valores negativos. No interior, podem chegar aos 5 graus negativos. Até ao Natal o tempo vai manter-se frio, seco e com ausência de chuva.

  • Bombeiro ferido nos fogos de Pedrógão Grande regressou a casa
    2:33

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Seis meses depois dos incêndios de Pedrógão Grande, regressou a casa o último dos bombeiros de Castanheira de Pera que estava internado desde junho. Rui Rosinha esteve em coma mais de dois meses e tem ainda pela frente uma longa recuperação. O bombeiro não quer que o país esqueça o que aconteceu e espera que as duas tragédias deste ano (fogos de junho e outubro) sirvam de lição para o futuro.

  • Pedrógão Grande, seis meses depois - documentário Expresso
    0:29
  • Fitch retira Portugal do "lixo"
    2:20
  • PS volta a subir nas intenções de voto e não baixa dos 40%
    2:01
  • Marcelo evita "ideia de que o ano foi todo muito bom"
    3:14

    País

    Marcelo Rebelo de Sousa disse esta sexta-feira que 2017 teve "o melhor e o pior" e que "é preciso evitar a "ideia que o ano foi todo muito bom". O Presidente da República fez estas declarações depois de António Costa ter dito que a nível económico este "foi um ano particularmente saboroso".