sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh obriga mulheres a tapar olhos com véu no nordeste da Síria

O Daesh obrigou as mulheres a cobrir os olhos com o véu, em zonas da província de <, no nordeste da Síria, indicou hoje o Observatório Sírio dos Direitos Humanos, citando ativistas naquela área.

As mulheres são obrigada a usar hijab nos territórios controlados pelo Daesh.

As mulheres são obrigada a usar hijab nos territórios controlados pelo Daesh.

© Stringer . / Reuters

De acordo com a organização não-governamental, os 'jihadistas' estão a cobrar uma multa de um grama de ouro a todas as mulheres que usem um 'niqab' que não cubra os olhos.

O 'niqab' é um tipo de véu que tapa todo o corpo, incluindo o rosto, e que por vezes tem uma ou duas aberturas à altura dos olhos para permitir a visão.

A sua versão mais radical é o véu que os extremistas do Estado Islâmico (EI) impuseram, que não deixa à vista qualquer parte do corpo da mulher.

Por outro lado, o observatório acrescentou que na cidade de Al-Mayadin, o principal bastião do EI no leste de Deir al-Zur, os 'jihadistas' também estão a obrigar os proprietários de lojas que cometem "irregularidades" a pagar multas em gramas de ouro.

O EI, de tendência radical sunita, proclamou em finais de junho de 2014 um califado na Síria e no Iraque, onde tomou partes do território do norte e do centro de ambos os países.

Nas áreas que controla, o movimento aplica uma versão extremista da 'sharia', ou lei islâmica, mediante a ameaça de castigos atrozes, que incluem a morte por decapitação e ser queimado vivo ou atirado do topo de um edifício, o que acontece com os homossexuais.

Lusa

  • Coreia do Norte foi "isolada à força"

    Mundo

    O empresário espanhol León Smit, que organiza visitas à Coreia do Norte, diz que o país foi "isolado à força", sendo "muito difícil" estabelecer relações comerciais com Pyongyang, sob o regime de Kim Jong-un.

  • Fuga de Vale de Judeus em junho de 1975 no Perdidos e Achados
    0:36

    Perdidos e Achados

    Prisão Vale de Judeus, final de tarde de domingo, dia 29 de junho de 1975. O plano da fuga terá sido desenhado por uma vintena de homens. Serrada a presiana metálica era preciso passar, para fora do edifício, as cabeceiras dos beliches onde os presos dormiam. Ao longo de cerca de uma hora 89 detidos, agentes da PIDE/DGS, a Polícia Internacional e de Defesa do Estado português extinta depois da revolução de 1974, fogem do estabelecimento prisional.

    Segunda-feira no Jornal da Noite