sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

França alerta para aumento de combatentes do Daesh na Líbia

O ministro da Defesa francês, Jean-Yves Le Drian, advertiu hoje contra o risco de aumento de combatentes do grupo extremista Estado Islâmico na Líbia, mas descartou a possibilidade de uma intervenção militar naquele país.

Foto de Abdelhamid Abaaoud, publicada na revista online Dabig, órgão de propaganda no Daesh, o autoproclamado Estado Islâmico.

Foto de Abdelhamid Abaaoud, publicada na revista online Dabig, órgão de propaganda no Daesh, o autoproclamado Estado Islâmico.

© Handout . / Reuters

"Estamos a ver chegar à região de Sirte [norte da Líbia] combatentes estrangeiros que, se as nossas operações na Síria e no Iraque reduzirem a base territorial do Daesh [sigla árabe para Estado Islâmico do Iraque e do Levante], podem ser amanhã mais numerosas", disse o ministro em entrevista, que vai ser divulgada na edição de domingo da revista Jeune Afrique.

"É um grande risco e é por isso imperativo que os líbios cheguem a acordo entre si", sublinhou o ministro.

A Líbia é atualmente um Estado falhado, vítima do caos e da guerra civil, desde que em 2011 a comunidade internacional apoiou um movimento rebelde contra a ditadura de Muammar Khadafi.

Desde as últimas eleições, que o poder está dividido entre dois governos, um com sede em Tripoli e outro, reconhecido pela comunidade internacional, em Tobruk.

Os dois governos são apoiados por grupos de islamitas, senhores de guerra, líderes tribais e traficantes de petróleo, armas, pessoas e droga.

Com a instabilidade no país, o grupo extremista Estado Islâmico e a organização Al-Qaida no Magrebe Islâmico aumentaram a sua influência na Líbia, ganhando poder territorial e contagiando a instabilidade a todo o norte de África.

Na entrevista, o ministro refere também que França se recusa a intervir militarmente na Líbia, a não ser que cheguem a acordo sobre uma solução política.

Lusa

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Destaques económicos que marcaram a semana
    2:03

    Economia

    A semana ficou marcada pela tragédia provocada pelos incêndios no centro do país. No entanto importa olhar para o que se passou noutras áreas e fazer um resumo das notícias relacionadas com a economia. 

  • Martin Schulz ataca Merkel a três meses das legislativas

    Mundo

    O social-democrata alemão Martin Schulz passou este domingo à ofensiva, a três meses das eleições legislativas, ao acusar Angela Merkel de "arrogância" e de sabotar a "democracia", quando as sondagens apontam para uma larga vantagem da chanceler da Alemanha.

  • Martha, a cadela mais feia do mundo
    0:42

    Mundo

    A cadela Martha, de raça mastim napolitano ficou em primeiro lugar na edição anual do concurso que elege os cães mais feios do mundo. A cadela tem três anos, pesa 57 quilos e foi resgatada pela dona quando estava praticamente cega. Acabou por recuperar a visão depois de várias operações. Martha e a dona receberam um prémio de 1.500 dólares e uma viagem a Nova Iorque para marcarem presença em programas de televisão.