sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pelo menos 35 mortos em bombardeamentos aéreos nos arredores de Damasco

Pelo menos 35 pessoas, incluindo seis crianças e cinco mulheres, foram hoje mortas por bombardeamentos de aviões militares nos arredores de Damasco, informou o Observatório sírio de direitos humanos (OSDH).

(Arquivo)

(Arquivo)

Segundo a organização não-governamental, que não precisou a origem dos aviões, ocorreram diversos ataques contra as povoações de Yisrin e Kafr Batna, na região de Guta oriental, o principal bastião da oposição ao regime de Bashar al-Assad na periferia da capital síria.

Os bombardeamentos também terão causado dezenas de feridos, alguns com gravidade, admitindo-se um aumento do número de vítimas mortais.

Na Síria, e atualmente, são várias as forças que utilizam a aviação para efetuar bombardeamentos: o exército do regime, a Rússia, e a coligação internacional liderada pelos Estados Unidos na qual participam, entre outros países, a França e o Reino Unido.

A força aérea do regime sírio e da Rússia efetuaram nos últimos dias bombardeamentos nos arredores de Damasco, enquanto a coligação internacional centra os seus ataques conta posições do grupo extremista Estado Islâmico (EI), em particular no norte da Síria.

Moscovo, aliado do Governo sírio, tem assegurado que os seus aviões também têm como objetivo das bases do EI e de outras organizações 'jihadistas'.

Segundo o OSDH, que se apoia numa vasta rede de ativistas e pessoal médico no terreno, o conflito na Síria, iniciado em março de 2011, já provocou mais de 250.000 mortos.

Lusa

  • Cágado tratado com implante impresso em 3D
    2:26
  • Patrões não aceitam alterações ao acordo de concertação social
    2:25

    Economia

    As confederações patronais foram esta sexta-feira ao Palácio de Belém dizer ao Presidente da República que não aceitam que o Parlamento faça alterações ao acordo de concertação social. Os patrões dizem ainda ter esperança que o Parlamento não chumbe o decreto-lei que reduz a TSU das empresas com salários mínimos.