sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Tunísia estima que 700 mulheres saíram para o Daesh

Cerca de 700 mulheres tunisinas viajaram para a Síria e o Iraque para se juntarem como voluntárias às fileiras do grupo autoproclamado como Estado Islâmico (Daesh, no acrónimo em árabe), revelou hoje a ministra para os Assuntos da Mulher.

© Mario Anzuoni / Reuters

Durante uma intervenção do parlamento, Samira Merai garantiu que o país está a observar uma mudança de tendência, com cada vez mais mulheres vinculadas aos movimentos radicais e ativas em operações de terrorismo.

"Constatámos uma evolução na natureza do terrorismo. Hoje existem 700 mulheres (tunisinas) na Síria, mas também existem tunisinas na prisão aqui" por delitos relacionados com a integração nestes movimentos, sublinhou a governante.

A Tunísia é considerado o país com mais cidadãos nas fileiras daquele grupo, que também já está presente na Líbia, com cerca de cinco mil pessoas, segundo os números oficiais, enquanto outras estimativas apontam para oito mil.

Este país norte-africano sofreu este ano três atentados terroristas, que causaram a morte a 72 pessoas, 60 das quais turistas estrangeiros.

Lusa

  • Dono de submarino é o único suspeito da morte de jornalista sueca
    1:51

    Mundo

    A polícia dinamarquesa confirmou que o corpo decapitado encontrado junto ao mar, perto de Copenhaga, é o da jornalista sueca desaparecida há mais de 10 dias. Kim Wall estava a fazer uma reportagem sobre um submarino artesanal com o criador, que é agora o principal suspeito do crime. Parte do corpo foi encontrada na segunda-feira e identificada através de exames de ADN.