sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Irão diz que grupos ligados ao Daesh participaram em reunião sobre a Síria

O Irão denunciou hoje que grupos ligados ao Daesh participaram na reunião desta semana na Arábia Saudita em que opositores ao regime de Damasco definiram linhas para negociar um acordo de paz no país.

© XXSTRINGERXX xxxxx / Reuters

"Alguns dos grupos terroristas vinculados ao Daesh" acudiram ao encontro em Riade e formarão parte da delegação que participará em qualquer futura negociação sobre a Síria, disse o vice-ministro iraniano dos Negócios Estrangeiros para Assuntos Árabes e Africanos, Husein Amir Abdolahian, em declarações divulgada pela agência oficial IRNA.

"O Irão não aprova a reunião de Riade, não se fez em linha com as conversações de Viena", disse o vice-ministro em referência ao processo em que participaram todos os atores internacionais envolvidos no conflito para estabelecer um diálogo formal entre o Governo sírio e a oposição.

Neste sentido, afirmou que "os grupos terroristas não terão permitido decidir o futuro da Síria".

Durante a reunião da oposição -- que terminou na quinta-feira em Riade -- as principais fações políticas e militares da oposição síria anunciaram a sua disposição para negociar com Damasco e decidiram formar uma delegação que os represente de forma unida nessas eventuais futuras conversações.

Além disso, durante a reunião, reafirmaram que o Presidente sírio, Bashar al-Assad, não terá qualquer papel na transição do país e apelaram ao fim da "ingerência externa" no conflito, aludindo à defesa do regime de Damasco por parte da Rússia e do Irão.

Precisamente, o Irão anunciou, por várias ocasiões, que manter Assad no poder durante a transição é uma das suas "linhas vermelhas", já que se trata de um aliado tradicional e do "legítimo Presidente dos sírios".

Do outro lado está a Arábia Saudita, principal patrocinador dos opositores de Assad, e cujo ministro dos Negócios Estrangeiros, Adel al Yobeir, advertiu na quinta-feira o Presidente sírio de que apenas tem duas formas de deixar o poder: ou uma saída negociada ou um derrube por via da força.

"Assad tem a alternativa de abandonar o poder mediante negociações, e isto seria mais fácil; e a outra opção é mediante a luta, e isto prolongaria a crise", afirmou o mesmo responsável.

O ministro também afirmou que o seu país deseja manter "os melhores laços com o Irão porque é um Estado islâmico e vizinho", se bem que lamentou que Teerão "não jogue um papel positivo" na crise síria.

Lusa

  • Primeiro-ministro holandês liga a Costa para explicar palavras de Dijsselbloem
    2:23

    País

    António Costa pediu que Djisselbloem desaparecesse da Presidência do Eurogrupo. Após esta tomada de posição, o primeiro-ministro holandês ligou para Costa na semana passada a dar explicações. Contudo, o primeiro-ministro português não recua e volta a dizer que Dijsselbloem não tem condições para continuar, na sequência das declarações sobre copos e mulheres. Os eurodeputados do Partido Popular Europeu reforçaram também esta terça-feira o pedido de demissão.

  • Surto de hepatite A em Portugal
    2:45

    País

    Há um surto de hepatite A em Portugal. Desde janeiro, 105 pessoas foram diagnosticadas na região de Lisboa e Vale do Tejo, um número superior aos casos contabilizados em todo o país nos últimos 40 anos. O surto terá começado na Holanda e está a atingir quase toda a Europa.

  • Abertura da lagoa de Santo André atrai surfistas e bodyboarders
    4:15
  • Novo vídeo do Daesh mostra crianças a treinar para matar
    3:35
  • Kennedy acreditava que Hitler estava vivo

    Mundo

    Um diário de John F. Kennedy vai a leilão em Boston, nos Estados Unidos da América. O diário foi escrito durante a sua breve carreira como jornalista, depois da 2.ª Guerra Mundial. No livro, foram expostas algumas teorias do antigo Presidente norte-americano, como a possibilidade de Hitler estar vivo.

    Ana Rute Carvalho

  • Trump propõe cortes orçamentais para pagar muro

    Mundo

    O Presidente dos Estados Unidos está a propor cortes de milhões de dólares no orçamento para que os contribuintes norte-americanos, e não o México, paguem o muro a construir na fronteira entre os dois países.

  • Tecnologia permite a tetraplégico mexer mão e braço

    Mundo

    Um homem que ficou tetraplégico num acidente voltou a mover-se com a ajuda da tecnologia e apenas usando o pensamento, num projeto de investigadores dos Estados Unidos divulgado esta terça-feira na revista especializada em medicina The Lancet.