sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Rússia apoia projeto de resolução dos EUA para cortar apoios ao Daesh

O Presidente russo afirmou hoje que Moscovo apoia o projeto de resolução apresentado pelos Estados Unidos para cortar os apoios financeiros ao grupo terrorista Daesh (autoproclamado Estado Islâmico).

© MAXIM ZMEYEV / Reuters

Numa conferência de imprensa, em Moscovo, Vladimir Putin afirmou também que os bombardeamentos que a Força Aérea russa está a efetuar na Síria estão a apoiar não só as tropas governamentais de Damasco como também as da oposição na luta contra o Daesh.

"Apoiamos a iniciativa dos Estados Unidos, que inclui a elaboração de uma resolução do Conselho de Segurança da ONU sobre a Síria", disse Putin, acrescentando que o projeto da declaração foi discutido com o secretário de Estado norte-americano, John Kerry, no início desta semana.

A resolução passa por aumentar as sanções ao Daesh e visa sobretudo cortar o acesso a meios financeiros por parte do grupo terrorista.

Sobre os bombardeamentos contra posições do Daesh na Síria, Putin salientou que a aviação russa está a apoiar as forças governamentais, bem como a oposição a Damasco que luta também contra o grupo.

"Com os bombardeamentos estamos a apoiar os esforços (da oposição síria) na luta contra o Daesh, da mesma forma que apoiamos o exército sírio", frisou o Presidente russo.

Lusa

  • BE acusa direita de bloquear atual comissão à CGD
    1:37

    Caso CGD

    O Bloco de Esquerda acusa a oposição de estar a fazer tudo para impedir as conclusões da comissão de inquérito sobre a Caixa Geral de Depósitos que está em curso. Numa altura em que PSD e CDS já entregaram o requerimento para avançar com uma segunda comissão, Catarina Martins defende que ainda há muita coisa por apurar sobre o processo de recapitalização do banco público.

  • Visita de Costa a Angola pode estar em risco
    2:26

    País

    A visita de António Costa a Luanda poderá estar em risco devido à acusação da justiça portuguesa contra o vice-Presidente de Angola. O jornal Expresso avança que o comunicado com a reação dura do Governo angolano é apenas o primeiro passo e que pode até estar a ser preparado um conjunto de medidas contra Portugal. Para já, o primeiro-ministro português desvaloriza a ameaça e mantém a visita marcada para a primavera.