sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pelo menos 20 elementos do Daesh mortos em bombardeamentos da coligação no Iraque

Pelo menos 20 membros do grupo terrorista Daesh (autodenominado Estado Islâmico), entre os quais um líder militar e religioso local, morreram na sequência de bombardeamentos da coligação internacional na zona de Al Qayara, no norte do Iraque.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Murad Sezer / Reuters

Segundo a agência noticiosa espanhola EFE, que cita Fares al Sabaaui, responsável da milícia sunita Multitude Popular dos Clãs, destacada na área, o cabecilha abatido é Jalaf Hussein Jalaf, de nacionalidade iraquiana, comandante militar e emir religioso de Al Qayara.

Os ataques da aviação da coligação efetuados nas últimas horas causaram também um número indeterminado de feridos e a destruição de veículos e equipamentos militares do Daesh.

Al Sabaaui acrescentou que os bombardeamentos aéreos tiveram como alvo sedes regionais do Daesh nas povoações de Douaizat Fauqani, Douaizat Tahtani e Sultan Abdallah, todas na região de Al Qayara.

Esta zona, 50 quilómetros a sul da cidade de Mossul, é o segundo feudo dos jihadistas na província de Ninive e há cerca de um mês que é alvo de frequentes ataques aéreos da coligação internacional.

O Daesh tomou o controlo de Mossul em junho de 2014 e, pouco depois, anunciou a constituição de um califado islâmico nas vastas áreas em seu poder no Iraque e na vizinha Síria.

Lusa

  • Caravana com cinzas de Fidel chega este sábado a Santiago de Cuba
    2:01
  • Obama diz que Guterres "tem uma reputação extraordinária"
    1:38

    Mundo

    António Guterres diz que vai trabalhar com Barack Obama e também com Donald Trump, na reforma das Nações Unidas. O futuro secretário-geral da ONU foi recebido por Obama, na Casa Branca, onde recebeu vários elogios do presidente norte-americano.

  • Morreu o palhaço que fazia rir as crianças de Alepo

    Mundo

    Anas al-Basha, mais conhecido como o Palhaço de Alepo, morreu esta terça-feira durante um bombardeamento aéreo na zona dominada pelos rebeldes. O funcionário público mascarava-se de palhaço para ajudar a trazer algum conforto e alegria às crianças sírias, que vivem no meio de uma guerra civil.