sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Libertados 16 cristãos assírios raptados pelo Daesh há quase um ano na Síria

O grupo extremista Daesh (autodenominado Estado Islâmico) libertou hoje 16 cristãos assírios que pertenciam a um grupo de mais de 200 que tinha sido sequestrado há quase um ano no nordeste da Síria, segundo uma organização não-governamental local.

Cristão assírios rezam pelos que foram raptados pelos terroristas do Daesh, numa igreja perto de Damasco.

Cristão assírios rezam pelos que foram raptados pelos terroristas do Daesh, numa igreja perto de Damasco.

© Omar Sanadiki / Reuters

Os reféns, incluindo nove mulheres e vários menores de idade, foram libertados pelos jihadistas na província síria de Al Hasaka, referiu a organização, que não esclareceu se existiu o pagamento de um resgate.

A mesma fonte recordou que mais de 200 cristãos assírios foram raptados em finais de fevereiro de 2015 na povoação de Tel Tamr e em outras localidades da província de Al Hasaka, onde reside uma grande comunidade desta minoria étnica de confissão cristã.

Ao longo dos últimos meses, o grupo sunita radical tem libertado pequenos grupos de reféns cristãos assírios.

Antes do início do conflito civil na Síria, em março de 2011, cerca de 200.000 assírios habitavam naquele país, mas o seu número foi entretanto reduzido para cerca de 15.000 a 20.000, em particular devido ao êxodo das suas populações. Esta comunidade também está presente no Iraque e na Turquia.

O seu idioma, o assírio, é uma mistura de acádio, uma antiga língua da Mesopotâmia, e de aramaico, que também se utiliza na liturgia.

De confissão cristã, são seguidores das igrejas caldeia, siríaca ortodoxa (igreja ortodoxa jacobita) e assíria do leste.

Lusa

  • Mais de um milhão de crianças em risco de morrer à fome
    1:23

    Mundo

    Cerca de 1.4 milhões de crianças estão em risco iminente de morrer à fome. Deste modo, a UNICEF faz um apelo urgente de cerca de 230 milhões de euros para levar nos próximos meses comida, água e serviços médicos a estas crianças. As imagens desta reportagem podem impressionar os espectadores mais sensíveis.

  • Vídeo amador mostra destruição na Síria
    1:04

    Mundo

    A guerra na Síria continua a fazer vítimas mortais. Um vídeo amador divulgado esta segunda-feira mostra o estado de uma localidade a este de Damasco, depois de um ataque aéreo no fim-de-semana. No ataque, 16 pessoas morreram e há várias dezenas de feridos.

  • Partidos querem eleições a 1 de outubro
    1:35
  • Identificadas 10 mil vítimas de violência em 2016
    1:32
  • Homem que esfaqueou mulher em Esmoriz é acusado de homicídio qualificado
    1:24

    País

    O homem que no sábado esfaqueou a mulher em Esmoriz está acusado de homicídio qualificado. O arguido de 50 anos foi ouvido esta segunda-feira pelo juiz de instrução e ficou em prisão preventiva, uma medida fundamentada pelo perigo de fuga e de alarme. O homem remeteu-se ao silêncio durante o interrogatório, no Tribunal de Aveiro.

  • Homem condenado a oito anos e meio por abuso sexual da mãe
    1:10

    País

    O Tribunal de Coimbra condenou esta segunda-feira um homem de 53 anos a oito anos e meio de prisão por abuso sexual da mãe e ainda por crimes de roubo e coação. A mãe, de 70 anos, sofria de problemas nervosos e consumia bebidas alcoólicas com frequência, tendo sido vítima de abuso sexual por parte do filho enquanto dormia. Os crimes cometidos remetem para o início de 2016, depois do homem já ter cumprido outras penas de prisão em Espanha.

  • Jovem de 21 anos morre colhida por comboio na linha da Beira Baixa
    0:43

    País

    Uma jovem de 21 anos morreu esta segunda-feira ao ser atropelada pelo comboio Intercidades à saída da estação de Castelo Branco, na linha da Beira Baixa. A vítima foi colhida pelo comboio que seguia no sentido Lisboa-Covilhã ao atravessar a linha de caminho de ferro. Este é um local onde não existe passagem de nível, mas habitualmente muitas pessoas arriscam fazer a travessia da linha.

  • Banco do Metro com pénis gera polémica no México

    Mundo

    Um banco em formato de homem com o pénis exposto, numa das carruagens de Metro da Cidade do México, está a gerar polémica. A iniciativa integra uma campanha contra o assédio sexual de que as mulheres são vítima no país.