sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Pelo menos 15 civis mortos em bombardeamentos da coligação internacional na Síria

Pelo menos 15 civis morreram hoje à noite em ataques aéreos da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos a uma cidade do nordeste da Síria controlada pelo grupo extremista Daesh, indicou o Observatório Sírio de Direitos Humanos (OSDH).

(Arquivo SIC)

(Arquivo SIC)

SIC

"Pelo menos 15 civis foram mortos e 20 feridos em ataques da aviação da coligação internacional que visavam a cidade de Al-Chadadi", na província de Hassaké, indicou a organização não-governamental, acrescentando que o balanço poderá agravar-se.

O diretor do OSDH, Rami Abdel Rahmane, precisou que os bombardeamentos coincidiram com um ataque das Forças Democráticas Sírias (FDS), uma coligação liderada pelos curdos, à cidade.

O grupo jihadista Daesh controla Al-Chadadi desde 2014.

As FDS lançaram uma primeira ofensiva contra o Daesh na província de Hassaké no final de outubro. Com o apoio dos ataques da coligação, conseguiram recuperar aos 'jihadistas' 1.400 quilómetros quadrados.

A coligação internacional efetua ataques aéreos contra o Daesh desde setembro do ano passado e, segundo o observatório sírio, esses ataques fizeram, até agora, 4.256 mortos: 3.787 membros do Daesh e quase 150 combatentes de outros grupos extremistas, entre os quais a Frente Al-Nusra, e 332 civis, incluindo 90 crianças.

Na segunda-feira, o OSDH relatou a ocorrência de bombardeamentos "provavelmente russos" no norte do país que fizeram, de acordo com a ONU, perto de 50 mortos, dos quais duas crianças.

Pelo menos cinco instalações médicas e duas escolas foram atingidas, segundo a ONU.

A Síria está desde há cinco anos a ser destruída por uma guerra que já fez mais de 260.000 mortos, empurrou para o exílio milhões de pessoas e causou a divisão do país.

Com Lusa

  • Captura ilegal de cavalos-marinhos na Ria Formosa
    3:02

    País

    Há cada vez menos cavalos marinhos na Ria Formosa. Cientistas da Universidade do Algarve dizem que a maior população desta espécie no mundo, que é a que existe na Ria Formosa, está ameaçada devido à captura ilegal para o mercado asiático. Dizem que, se nada for feito para travar este fenómeno, esta espécie protegida pode desaparecer em poucos anos.