sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh perdeu milhões de dólares em dinheiro nos bombardeamentos

O departamento de Defesa norte-americano anunciou hoje que o grupo extremista Daesh perdeu até agora centenas de milhões de dólares nos bombardeamentos da coligação internacional às suas reservas de dinheiro vivo na Síria e no Iraque.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Stringer . / Reuters

Segundo um porta-voz do Pentágono, os aparelhos da coligação atingiram no fim de semana passado dez edifícios onde eram mantidas as reservas de dinheiro do grupo 'jihadista'.

"Não temos números exatos, mas pensamos que serão da ordem das centenas de milhões de dólares", disse, a partir de Bagdad, o coronel Steven Warren, porta-voz da campanha aérea da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos contra os 'jihadistas' do autoproclamado Estado Islâmico, referindo-se ao montante em dinheiro perdido pelo grupo extremista nos bombardeamentos efetuados.

Os 'raides' da coligação estão há várias semanas particularmente centrados nas reservas de dinheiro do Daesh, para esgotar o financiamento aos 'jihadistas', que efetuam em dinheiro vivo a maior parte das suas transações, por serem ilegais.

"É claro que é impossível queimar todas as notas, talvez eles tenham conseguido resgatar alguma coisa, mas estimamos que esta série de ataques significativos tenha desferido um sério golpe na tesouraria", comentou Warren.

No âmbito da estratégia que visa destruir as finanças dos radicais islâmicos, a coligação atacou também infraestruturas petrolíferas controladas pelo Daesh.

O coronel Warren sublinhou que os esforços da coligação parecem estar a compensar, como ilustra o anúncio recente do autoproclamado Estado Islâmico de que se viu obrigado a reduzir os salários dos seus combatentes, alguns deles para metade.

"Para nós, é um bom indicador de que estes ataques aéreos contra as suas capacidades de gerar receitas começam a pesar sobre eles", afirmou.

O grupo extremista financia-se essencialmente graças ao contrabando de petróleo, à pilhagem ou à extorsão das populações das regiões que controla.

Lusa

  • "O Serviço Nacional de Saúde está falido pelo menos desde o ano 2000"
    0:34

    País

    Não será de estranhar se casos como o da legionella do S. Francisco Xavier venham a repetir-se. Quem o diz é o antigo administrador do Hospital de S. João, que chegou a ser, ainda que por pouco tempo, coordenador nacional para a reforma do SNS do Governo de Costa. António Ferreira falava ontem à noite, num encontro organizado pelo CDS.

  • "Estamos vivos"
    11:41