sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Daesh perdeu milhões de dólares em dinheiro nos bombardeamentos

O departamento de Defesa norte-americano anunciou hoje que o grupo extremista Daesh perdeu até agora centenas de milhões de dólares nos bombardeamentos da coligação internacional às suas reservas de dinheiro vivo na Síria e no Iraque.

(Arquivo)

(Arquivo)

© Stringer . / Reuters

Segundo um porta-voz do Pentágono, os aparelhos da coligação atingiram no fim de semana passado dez edifícios onde eram mantidas as reservas de dinheiro do grupo 'jihadista'.

"Não temos números exatos, mas pensamos que serão da ordem das centenas de milhões de dólares", disse, a partir de Bagdad, o coronel Steven Warren, porta-voz da campanha aérea da coligação internacional liderada pelos Estados Unidos contra os 'jihadistas' do autoproclamado Estado Islâmico, referindo-se ao montante em dinheiro perdido pelo grupo extremista nos bombardeamentos efetuados.

Os 'raides' da coligação estão há várias semanas particularmente centrados nas reservas de dinheiro do Daesh, para esgotar o financiamento aos 'jihadistas', que efetuam em dinheiro vivo a maior parte das suas transações, por serem ilegais.

"É claro que é impossível queimar todas as notas, talvez eles tenham conseguido resgatar alguma coisa, mas estimamos que esta série de ataques significativos tenha desferido um sério golpe na tesouraria", comentou Warren.

No âmbito da estratégia que visa destruir as finanças dos radicais islâmicos, a coligação atacou também infraestruturas petrolíferas controladas pelo Daesh.

O coronel Warren sublinhou que os esforços da coligação parecem estar a compensar, como ilustra o anúncio recente do autoproclamado Estado Islâmico de que se viu obrigado a reduzir os salários dos seus combatentes, alguns deles para metade.

"Para nós, é um bom indicador de que estes ataques aéreos contra as suas capacidades de gerar receitas começam a pesar sobre eles", afirmou.

O grupo extremista financia-se essencialmente graças ao contrabando de petróleo, à pilhagem ou à extorsão das populações das regiões que controla.

Lusa

  • Michelle Obama partilhou momento de despedida da Casa Branca
    1:43
  • Artista que criou poster de Obama quer invadir EUA com símbolos de esperança

    Mundo

    Shepard Fairey - o artista por trás do tão conhecido cartaz vermelho e azul "Hope" de Barack Obama, durante a campanha eleitoral de 2008 nos EUA - produziu uma série de novas imagens a tempo da tomada de posse de Donald Trump, na sexta-feira. Agora, o artista e a sua equipa querem manifestar uma posição política com a campanha "We The People", contra as ideias que o Presidente eleito tem defendido.

  • Trabalhadores da saúde iniciam greve nacional

    País

    Trabalhadores da saúde estão esta sexta-feira a cumprir uma greve a nível nacional para reivindicar a admissão de novos profissionais, exigir a criação de carreiras e a aplicação das 35 horas semanais a todos os funcionários do setor.

  • Portugal a tremer de frio
    3:07

    País

    Portugal continua a registar temperaturas negativas, sobretudo no Norte do país. Em Trás-os-Montes, por exemplo, marcaram mínimas de 11 graus abaixo de zero e os termómetros desceram tanto que congelaram rios, canalizações de água e até aquecimentos de escolas. Mas nem tudo é mau pois os produtores falam em boa época para curar fumeiro.

  • Juiz brasileiro morto em acidente aéreo investigava corrupção na Petrobras
    1:28
  • Zoo da Indonésia acusado de querer matar ursos à fome

    Mundo

    Um grupo de ativistas da Indonésia acusa o Jardim Zoológico de Bandung de estar a matar à fome os seus animais, incluindo os ursos-do-sol, para ser fechado. Um vídeo recentemente publicado mostra os ursos, que aparecem muito magros e a implorar por comida.

  • Podem as plantas ver, ouvir e até reagir?

    Mundo

    Um professor de Ciências Vegetais da Universidade de Missouri, nos Estados Unidos, passou quatro décadas a investigar as relações entre vegetais e insetos. Na visão de Jack Schultz, as plantas são "como animais muito lentos", que conseguem ver, ouvir, cheirar e até têm comportamentos próprios.