sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Recrutadores de jihadistas obrigam candidatos a atacar homossexuais

Os recrutadores de jihadistas na Bélgica obrigam os candidatos a atacar homossexuais, para demonstrar a sua capacidade de lutar na Síria, noticia a EFE, citando o tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

A notícia foi avançada pelo tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

A notícia foi avançada pelo tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

nieuwsblad.be

Estas revelações terão sido feitas por um candidato a combatente jihadista detido pela justiça belga e os ataques em causa - que terão sido cometidos no outono - teriam servido para demonstrar que os 'recrutas' eram "bons jihadistas" e "corajosos o suficiente" para combaterem na Síria.

O detido, menor de idade, confessou à justiça belga ter feito seis ataques contra homossexuais, juntamente com outros candidatos a jihadistas, acrescentando que se não tivesse sido preso, "provavelmente estaria agora na Síria".

Os atacantes percorriam as zonas 'gay' de Bruxelas e atraiam as vítimas, indo com elas para casa, onde as maltratavam até revelarem onde tinham dinheiro e outros objetos de valor.

Segundo um dos investigadores dos ataques, a angariação de fundos para os combatentes na Síria seria outros dos objetivos dos ataques.

O suspeito dos atentados de Paris em novembro que se encontra a monte, Salah Abdeslam, foi visto em bares frequentados por homossexuais días antes dos ataques.

Lusa

  • 10 Minutos com Eurico Reis
    11:20

    10 Minutos

    Há quatro meses que Portugal é um dos poucos países europeus onde é possível recorrer à gestação de substituição. E há já um casal que teve luz verde para começar os tratamentos. Para um balanço, foi nosso convidado Eurico Reis, juiz desembargador e presidente do Conselho Nacional de Procriação Medicamente Assistida, a entidade que autoriza os processos de gestação de substituição.

    Entrevista completa

  • Parlamento discute utilização de animais no circo
    2:01
  • Seis meses depois da tragédia de Pedrógão Grande
    5:55

    Tragédia em Pedrógão Grande

    Assinalou-se este domingo meio ano desde que o país ficou em choque com o rasto de morte e destruição causado pelos incêndios florestais na região centro. A tragédia de Pedrogão Grande foi há precisamente seis meses. Enquanto segue a reconstrução no tempo possível e com o Natal à porta, a vida prossegue, mas não voltará a ser mesma.

  • A inédita entrevista do príncipe Harry a Barack Obama
    0:47

    Mundo

    Foi divulgado um vídeo pouco habitual em que aparece o príncipe Harry a entrevistar Barack Obama para um programa de rádio. A conversa foi gravada em setembro, durante um evento desportivo para militares com deficiência, e será transmitida na íntegra no dia 27 de dezembro.