sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Recrutadores de jihadistas obrigam candidatos a atacar homossexuais

Os recrutadores de jihadistas na Bélgica obrigam os candidatos a atacar homossexuais, para demonstrar a sua capacidade de lutar na Síria, noticia a EFE, citando o tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

A notícia foi avançada pelo tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

A notícia foi avançada pelo tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

nieuwsblad.be

Estas revelações terão sido feitas por um candidato a combatente jihadista detido pela justiça belga e os ataques em causa - que terão sido cometidos no outono - teriam servido para demonstrar que os 'recrutas' eram "bons jihadistas" e "corajosos o suficiente" para combaterem na Síria.

O detido, menor de idade, confessou à justiça belga ter feito seis ataques contra homossexuais, juntamente com outros candidatos a jihadistas, acrescentando que se não tivesse sido preso, "provavelmente estaria agora na Síria".

Os atacantes percorriam as zonas 'gay' de Bruxelas e atraiam as vítimas, indo com elas para casa, onde as maltratavam até revelarem onde tinham dinheiro e outros objetos de valor.

Segundo um dos investigadores dos ataques, a angariação de fundos para os combatentes na Síria seria outros dos objetivos dos ataques.

O suspeito dos atentados de Paris em novembro que se encontra a monte, Salah Abdeslam, foi visto em bares frequentados por homossexuais días antes dos ataques.

Lusa

  • ANACOM apresenta recomendações para melhorar redes de telecomunicações
    1:17

    País

    A ANACOM entregou um conjunto de recomendações ao Governo, Parlamento, municípios e operadores de telecomunicações. A autoridade reguladora em Portugal das comunicações eletrónicas propõe que os cabos aéreos de telecomunicações sejam substituídos por cabos subterrâneos, entre outras coisas. O objetivo é impedir que as redes fiquem em baixo perante incêndios ou outras catástrofes.

  • Ministra do Mar não aceita suspensão da pesca da sardinha
    2:39

    Economia

    O organismo científico que aconselha a Comissão Europeia em matéria de pescas recomendou esta sexta-feira que Portugal e Espanha não pesquem sardinha no próximo ano. A Ministra do Mar não aceita esta recomendação de capturas zero e vai propor uma redução do limite de capturas de sardinha das 17 mil toneladas deste ano para cerca de 14 mil em 2018.

  • Atividade económica regista crescimento

    Economia

    A atividade económica portuguesa está a crescer ao maior ritmo dos últimos 17 anos. O crescimento registado em setembro é o mais elevado desde janeiro de 2000. Já o consumo privado registou uma diminuição face a agosto.

    SIC