sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Recrutadores de jihadistas obrigam candidatos a atacar homossexuais

Os recrutadores de jihadistas na Bélgica obrigam os candidatos a atacar homossexuais, para demonstrar a sua capacidade de lutar na Síria, noticia a EFE, citando o tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

A notícia foi avançada pelo tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

A notícia foi avançada pelo tablóide belga de língua neerlandesa Het Nieuwsblad.

nieuwsblad.be

Estas revelações terão sido feitas por um candidato a combatente jihadista detido pela justiça belga e os ataques em causa - que terão sido cometidos no outono - teriam servido para demonstrar que os 'recrutas' eram "bons jihadistas" e "corajosos o suficiente" para combaterem na Síria.

O detido, menor de idade, confessou à justiça belga ter feito seis ataques contra homossexuais, juntamente com outros candidatos a jihadistas, acrescentando que se não tivesse sido preso, "provavelmente estaria agora na Síria".

Os atacantes percorriam as zonas 'gay' de Bruxelas e atraiam as vítimas, indo com elas para casa, onde as maltratavam até revelarem onde tinham dinheiro e outros objetos de valor.

Segundo um dos investigadores dos ataques, a angariação de fundos para os combatentes na Síria seria outros dos objetivos dos ataques.

O suspeito dos atentados de Paris em novembro que se encontra a monte, Salah Abdeslam, foi visto em bares frequentados por homossexuais días antes dos ataques.

Lusa

  • Pagar IMI a prestações e um Documento Único Automóvel mais pequeno

    País

    O programa Simplex + 2017 é apresentado hoje à tarde e recebeu mais de 250 propostas de cidadãos ao longo dos últimos meses. As novas medidas preveem o pagamento em prestações do Imposto Municipal sobre Imóveis (IMI) e a criação de um simulador de custos da Justiça, que devem estar em vigor no próximo ano.

  • Depois do Fogo
    23:30
  • "A culpa morre sozinha?"
    0:41

    Opinião

    Luís Marques Mendes não acredita que o Ministério Público não formule uma acusação de homicídio por negligência e que não haja demissões na sequência do incêndio de Pedrógão Grande. O comentador da SIC debateu o tema este domingo no Jornal da Noite da SIC.

    Luís Marques Mendes

  • Cinco anos depois do incêndio na Serra do Caldeirão
    5:24
  • Trump quebra tradição da Casa Branca com 20 anos

    Mundo

    Donald Trump decidiu não fazer um jantar de celebração pelo fim do Ramadão, o mês em que os muçulmanos cumprem jejum entre o nascer e o pôr do sol. O Presidente dos Estados Unidos quebrou a tradição da Casa Branca, pela primeira vez em 20 anos.