sicnot

Perfil

Daesh

Daesh

Daesh

Confrontos entre milicianos e apoiantes de governo de Tripoli fazem 7 mortos

Confrontos ocorridos entre alegados milicianos do autoproclamado Estado Islâmico e fiéis ao governo líbio instalado em Tripoli, na cidade de Sabratah, a cem quilómetros da capital, causaram seis mortos entre os primeiros.

© Ismail Zetouni / Reuters

Fontes oficiais adiantaram à Efe que também morreu um miliciano pró governamental, além de outros que ficaram feridos.

Há também a registar a morte de uma mãe e dois filhos, com a mulher a imolar-se depois de conhecer o estado dos filhos.

A região de Sabratah, a escassos 150 quilómetros da fronteira com a Tunísia, é palco de combates desde que há duas semanas aviões de combate dos EUA mataram 150 pessoas, na sua maioria tunisinos, num bombardeamento de alegados alvos do ramo líbio daquele grupo.

O Pentágono explicou o ataque com o objetivo de matar Nourdine Chouchane, um conhecido dirigente extremista tunisino, que é acusado de instigar dois dos três atentados ocorridos em Tunes em 2015 e lutar nas fileiras do grupo na Síria e no Iraque.

Pouco depois, tropas do governo de Tripoli prosseguiram com a operação por terra contra a citada célula em Sabratah, o que colocou as forças tunisinas em estado de alerta, por receio de que os milicianos do grupo fugissem para a Tunísia.

As zonas desérticas do sul da Tunísia, que se entendem entre a Líbia e a Argélia, tornaram-se nos últimos anos um local de encontro e passagem de centenas de milicianos e candidatos a milicianos, procedentes de todos os pontos do Sahel e do norte de África, que pretendem juntar-se à luta armada na Líbia.

Este país é um Estado falhado, mergulhado no caos e na guerra civil, desde que em 2011 a NATO contribui militarmente para a vitória dos rebeldes sobre o agora extinto regime Muammar Kadhafi.

Nos últimos anos, milícias radicais têm aproveitado o conflito político entre os governos rivais de Tripoli e Tobruk para se instalarem em diversas partes da Líbia, instalar um bastião no porto mediterrânico de Sirte e estender a instabilidade ao resto do Norte de África, designadamente à Tunísia.

Lusa

  • "A vitória de Bruno de Carvalho pode ser uma vitória de Pirro"
    1:01
    O Dia Seguinte

    O Dia Seguinte

    2ªFEIRA 21:50

    As eleições para a presidência do Sporting realizam-se no próximo sábado e os comentadores d'O Dia Seguinte avaliaram já as hipóteses de vitória dos candidatos. Rui Gomes da Silva considera que a gravação que implicava José Maria Ricciardi não vai influenciar a decisão de voto. Já Paulo Farinha Alves acredita que Bruno de Carvalho vai vencer a eleição. Contudo José Guilherme Aguiar avisa as eleições podem não trazer estabilidade ao Sporting.

  • SIC revela relatório que provava falência do GES
    2:06
  • Sócrates acusa Cavaco de conspiração
    0:57
  • Vulcão Etna em erupção
    1:34
  • "Geringonça" elogiada na Europa e EUA
    4:22
  • Como a maioria de Esquerda gere as votações
    2:15

    País

    A gestão entre os partidos é feita diariamente mas nem sempre PCP e Bloco de Esquerda têm votado ao lado do Governo. A SIC ouviu um politólogo, que diz que o objetivo é cada um salientar as diferenças que os separam do PS. No entanto, também há exemplos que provam que nenhum dos partidos quer pôr em causa a estabilidade política.